Jesus Perez e a Pré-temporada – Parte 2

Chegou a hora da segunda parte da série de entrevistas em que Jesus Perez, membro da comissão técnica da Pochettino, faz uma série de relatos sobre seus pensamentos acerca do período de pré-temporada. Desta vez, Jesus comentou sobre sua primeira pré-temporada nessa função.

Você se lembra de sua primeira pré-temporada como membro de comissão técnica? O quanto que esse período mudou de lá para cá?
Jesus: “Sim, foi no meio da década de 1990, então já faz mais de 20 anos! Eu estava no Gimnàstic de Tarragona, que hoje está na segunda divisão inglesa. Mudou demais. O jogo ainda é o mesmo, mas o processo é completamente diferente. Agradeço pelo clube nos providenciar com grandes estabelecimentos em termos de comissão técnica e orçamento para adquirir a melhor tecnologia no mercado para ajudar os jogadores. É isso que posso dizer. Hoje, os futebolistas jogam futebol, mas com uma grande equipe de suporte para cada um”.

Qual foi a maior mudança em pré-temporadas ao longo dos anos? Por exemplo, na Inglaterra, a pré-temporada era sobre fazer longas corridas, mas agora ela parece mais curta, mais precisa e com mais trabalho com a bola…

Jesus: “Penso que é algo cultural. No começo, o futebol tinha a influência de outros esportes, como o atletismo, mas nos últimos 15, 20 anos, os times de futebol desenvolveram seus próprios métodos. Todos colocam em prática seus princípios à sua própria maneira. Não posso dizer que a corrida é ruim para o jogador de futebol, mas acredito que cada método tem seu próprio resultado. Para mim, é preciso haver uma combinação de métodos, mas acima de tudo, é preciso fazer o que for melhor para o jogador. O jogador é um ser humano e, como ser humano, cada dia aparece algo diferente. Certo dia o jogador pode treinar um pouco mais e você precisa aproveitar isso, mas às vezes, há certo cansaço, até cansaço mental mesmo, ou pode estar passando por problemas familiares ou quem sabe o jogador esteja de mau humor. É preciso se adaptar. Você nunca está 100 por cento, mas nunca está abaixo da média. Precisamos identificar o estado de jogador a cada dia e ajustar o treinamento da maneira que precisarmos”.

Você ainda aproveita a pré-temporada como antes?
Jesus: “Sim, claro! Antes, era um desafio. Não ter campo, não ter recurso, não ter GPS, porque era tudo baseado só no bom senso. Obviamente, com a tecnologia é possível ter os números, mas é preciso interpretar quais números são confiáveis. Um futebolista joga futebol e a maneira como você o ajuda a melhorar é a coisa mias importante, assim como a relação com seus companheiros de time. É um esporte coletivo, não podemos esquecer disso. O treinamento precisa ser específico e a maneira de como ajudar o atleta precisa ser específica também. Esse é o desafio e essa é a diferença também entre o clube e a comissão técnica. A teoria está aí, mas a questão é saber aplicar tal teoria e nossa experiência nos torna diferentes”.

Matéria original: http://www.tottenhamhotspur.com/news/jesus-perez-on-pre-season-part-2-080717/

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba (no Triângulo Mineiro). Licenciado em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela UFTM. Tenho 22 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.

Latest posts by Lucas Colenghi (see all)