EPL – Tottenham 2×1 Manchester United

Ainda restam dois jogos, mas para efeitos práticos, terminou hoje (e de modo épico) a Premier League para o Tottenham. Com a vitória sobre o Manchester United por 2 a 1, com gols de Wanyama e Kane, Rooney descontou, os Spurs estão matematicamente assegurados como os vice-campeões ingleses de 2017. Por mais que, na cultura brasileira, a segunda colocação não seja tão valorizada, é um feito notável que confirma o crescimento do time, e do clube, como explicita a construção do novo estádio e a inesquecível despedida de gala de White Hart Lane.

Quebrando o protocolo do pós jogo, vale a pena ressaltar a festa que foi este último jogo do nosso histórico estádio, casa do Tottenham nos últimos 118 anos. Além de encerrarmos a campanha no segundo posto, terminamos a Premier League invictos dentro de casa, somando 17 vitórias e 2 empates, com 47 gols marcados e 9 sofridos. 53 pontos somados, disparadamente, o melhor mandante da temporada. Além do show da torcida durante todo o jogo, ao apito final, houve uma pacífica invasão de campo, que certamente ficará eternizada na memória de todos os adeptos. Vamos agora ao campo e bola.

O Tottenham foi a campo com basicamente o mesmo time da última partida, derrota para o West Ham. Apenas Walker deu lugar a Trippier na ala direita. Sendo assim, Pochettino alinhou os Spurs com Lloris; Trippier, Alderweireld, Vertonghen, Davies; Wanyama, Dier, Eriksen, Son, Dele; Kane. Já o Manchester United foi escalado por José Mourinho com um time alternativo, formado por De Gea; Bailly, Smalling, Jones, Blind; Carrick, Tuanzebe, Lingard, Mata, Rooney; Martial.

O primeiro tempo foi de absoluto domínio do Tottenham, que controlava a bola e tentava o gol desde os primeiros movimentos. Aos 6′ o esforço foi recompensado, quando Wanyama aproveitou cruzamento de Davies e cabeceou firme, sem chances para De Gea. O goleiro espanhol foi um dos personagens da partida, fazendo várias intervenções que pararam o ataque dos Spurs. O United só chegou em um lance esporádico com Martial, que bateu com curva, raspando a trave.

Na etapa complementar, a rede voltou a balançar logo no início, aos 48′. Eriksen cobrou muito bem uma falta pela esquerda e Harry Kane se esticou para desviar a pelota com o pé direito, tirando do goleiro e fazendo 2 a 0. Kane ainda teve outra oportunidade clara, instantes depois, mas bateu de canhota pra fora. Mourinho resolveu encorpar o time com Herrera, Mkhtaryan e, mais tarde, Rashford, e a estratégia deu frutos. Após bom lance de Martial, aos 71′, o cruzamento rasteiro encontrou o pé direito de Rooney, que marcou o último gol da história de White Hart Lane. A bola ainda tocou em Vertonghen.

A partir daí, os Red Devils tentaram lançamentos longos para a área, mas sem grande perigo. As melhores chances foram dos Spurs, com Dele e N’Koudou, mas a zaga afastou bem. E Jonathan Moss encerrou os trabalhos aos 95 minutos. Com 80 pontos na tabela, o Tottenham é vice-campeão inglês, algo que não acontecia desde 1963. Agora, só falta um degrau. Nossa próxima partida será na quinta-feira, contra o Leicester.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)