I Encontro Nacional Tottenham Brasil – O Último North London Derby de White Hart Lane

No próximo domingo, 14 de maio de 2017, o histórico estádio White Hart Lane, casa do Tottenham Hotspur desde 1898, receberá sua última partida oficial, quando, pela 37ª rodada do Campeonato Inglês dessa temporada, os Spurs receberão os Red Devils, do Manchester United. Duas semanas atrás, mais precisamente na data de 30 de Abril de 2017, também um domingo, o Tottenham fez sua penúltima partida no estádio, o último North London Derby, o maior clássico da capital inglesa, contra o rival Arsenal. E o Tottenham Brasil resolveu reunir torcedores dos Spurs de todos os cantos do Brasil num mesmo local para confraternizarem-se nesta data tão importante. Assim nasceu o Encontro Nacional Tottenham Brasil.

Este evento ocorreu em duas sedes, no O’Malley’s Pub, em São Paulo e no Butiquim do Nonno, no Rio de Janeiro. Nestes locais, foi possível reunir pessoas de diferentes e distantes cidades do país, que tinham uma paixão em comum: o Tottenham. Haviam representantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, e até de fora do país, como os americanos e ingleses que estiveram por lá. Muitas destas pessoas que estiveram no encontro possuem amizades virtuais de longa data por conta do clube que torcem, e, com a presença no evento, tiveram a oportunidade de finalmente conhecerem-se pessoalmente.

Nos próximos parágrafos, contarei, sob minha ótica, como foi a experiência do I Encontro Nacional Tottenham Brasil e as emoções do grande jogo daquele dia.

Equipe Tottenham Brasil visitando uma loja de artigos de futebol internacional em São Paulo, a Atrox Casual Club. Da esquerda para a direita: Gabriel Maluf, Fábio Malet, Marcos Passarella e Amarilson Gordiano.

 

A Chegada

É o dia do evento, marcado para às 11h, 90 minutos antes da partida, que começaria às 12h30. No entanto, às 10h, entraria em campo o líder Chelsea, àquele momento apenas 4 pontos a frente do segundo colocado Tottenham, e que visitaria o bom time do Everton. O pub paulistano que receberia o Encontro, abriria ao público apenas às 12h. Só que o jogo do Chelsea também era importante, e era praticamente obrigatório acompanhar o embate com torcida fervorosa para o Everton.

São 9h30 e estou pronto para o evento, com minha camisa do Tottenham da temporada 2015-2016, e uma mochila cheia de itens do clube, adquiridas em minha recente visita à sede do clube em Londres (assunto para próximos textos), e que gostaria de compartilhar com os amigos torcedores lillywhite. Mas sou um turista, oriundo de Porto Alegre, cidade onde resido e trabalho, alojado em um hostel paulistano, na segunda visita à cidade e com pouquíssimo conhecimento do local. Haveria algum local aberto, perto do local do evento, em que conseguiria assistir a Everton x Chelsea?

Decido então ficar no hostel para assistir ao primeiro tempo de partida. Um bom primeiro tempo, com claras oportunidades de gol do Everton e uma bola na trave do goleiro Courtois. “Uma hora esse gol vai sair”, pensei. Durante este período, Amarílson Gordiano, membro baiano da equipe TB, que viajara de Salvador à São Paulo dois dias antes, manda uma mensagem no grupo de membros da equipe no Whatsapp: “Consegui colocar no jogo em uma padaria aqui perto (do local do encontro)”. Assim, todos dirigiram-se até esta padaria: o paulista de Batatais, Gabriel Maluf e sua noiva, o paulistano, Marcos Passarella, o paranaense Vinícius Gordia, o Camisa, e sua esposa, e o catarinense Marcelo Cardozo, e sua namorada. Após o final da primeira etapa, fui ao encontro deles.

No meio do caminho, o Chelsea abre o placar. Desencanado com a torcida para o Everton e preocupado com os convidados do evento irem chegando ao local, pulo a parte da padaria e dirijo-me diretamente para o O’Malley’s Pub. Lá, encontro a turma da Arsenal Sampa, bato um papo com os rivais, até que o pessoal que estava na padaria junta-se a mim no local. Agora, é esperar o pub abrir e torná-lo um pedacinho de White Hart Lane no Brasil.

Esperando a abertura do O’Malley’s Pub, junto do pessoal da Arsenal Sampa.

Pré-Jogo

Entramos no pub pouco antes das 12h. Tivemos o desprazer de ver o terceiro e derradeiro gol do Chelsea sobre o Everton antes de começar a transmissão de Tottenham x Arsenal. Arrumamos a decoração do bar com bandeirões, cachecóis, camisas e tudo mais que tinha direito. Camisa e Maluf distribuíram seus brindes personalizados da Tottenham Brasil, mostrei meus itens trazidos de Londres, conversamos bastante sobre nossas experiências e torcida pelo Tottenham, o paulistano Pedro Reinert, eterno membro do Tottenham Brasil, hoje blogueiro dos Spurs no ESPN FC, também chegou ao local para adicionar às conversas, enfim, confraternizamos. A alegria pelo momento conseguia superar a ansiedade pela partida.

Galera reunida antes da partida. Um ótimo quórum que só aumentava com a proximidade do horário do jogo, e até durante a partida.

Começa o Jogo

Difícil traduzir em palavras o clima durante o jogo. O pub transformou-se mesmo em um estádio. A tensão tomava conta do ambiente a cada bola recuada ao goleiro Lloris. Os gritos puxados por mim e pelo Amarilson ecoavam pelo ambiente. A cada finalização próxima, a cada gol desperdiçado, a cada “uuuuuuuh”, palavrões e gritos estavam presentes. Emoção à flor da pele e um jogo digno da data especial.

O Tottenham fazia uma apresentação impecável. O desempenho impressionava. O goleiro adversário, Petr Cech, era o grande destaque individual adversário. Christian Eriksen e, principalmente, Dele Alli, haviam perdido chances inacreditáveis na primeira etapa. Mas a partida foi para o intervalo empatada em 0 a 0. Aí veio o segundo tempo…

O Primeiro Gol

Aí veio o segundo tempo. O Tottenham continuava pressionando e já havia criado outra chance clara de abrir o placar. Mas aos 54 minutos, em um lateral despretensioso no meio do campo, Kieran Trippier, titular da lateral-direita na ocasião, opta por um lançamento longo para o pivô de Harry Kane. O centroavante faz a parede, combina com Alli, até a bola chegar em Eriksen. Com um drible, o dinamarquês tira três defensores adversários da jogada e finaliza forte para excelente intervenção de Cech. No rebote, Alli se atira na bola e abre o placar para o Tottenham.

Que gol! É indescritível o momento do primeiro gol do jogo. Lembro de abraçar conhecidos e desconhecidos aos berros, tomar banho de cerveja, patrocinado pelo Camisa que jogou pro alto uma caneca de meio litro cheia de chopp, xingar a torcida do Arsenal que estava no outro lado do salão, enfim, tudo o que a euforia do momento me permitiu fazer.

O Segundo Gol

E nem deu tempo de comemorar o primeiro gol. Pouco menos de dois minutos após o tento inicial marcado pelo Tottenham, Harry Kane recebeu ótimo passe de Wanyama no lado esquerdo da área, arrancou para cima do zagueiro brasileiro Gabriel Paulista e foi derrubado dentro da grande área. Pênalti!

Após a penalidade máxima marcada, houve um minuto de interrupção, por conta de reclamações de jogadores do Arsenal. Só que este minuto pareceu uma eternidade no momento! E o pênalti nunca era batido. Até que finalmente Kane pôs a bola na marca fatal e fuzilou a goleira defendida por Petr Cech. 2 a 0, Tottenham.

Mais uma vez, a reação do momento foi de histeria. Abraços a conhecidos e desconhecidos, banho de cerveja, gritos de se perder a voz. Reação idêntica ao primeiro gol. Mas tão especial quanto.

O Final da Partida

Ao final do jogo, um sentimento de felicidade extrema pairou no ar. Uma comemoração com menos euforia, mas muito mais emoção. Vencemos! Acabamos com o St. Totteringham Day após 21 anos! Estamos vivos na briga pelo título do Campeonato Inglês! Estamos garantidos na fase de grupos da próxima UEFA Champions League!

Mais uma vez, muitos abraços se seguiram. Muito mais conversas e relatos aconteceram. Novas amizades foram formadas, antigas amizades foram fortalecidas. Assim a confraternização continuou por mais algumas horas. E um enorme sorriso não saía do rosto do torcedor do Tottenham. A felicidade tomou conta do ambiente e se manteve assim até que os torcedores tomassem o rumo de suas casas (ou hotéis, no caso de muitos ali que eram turistas na cidade). Afinal, foi um dia sensacional, um grande evento e uma experiência indescritível. Que venham mais destes encontros no futuro!

Próximas edições

O Encontro Nacional agora vira tradição no calendário da temporada do Tottenham Brasil. Esperaremos a definição do calendário dos Spurs na próxima temporada para definir data, local, partida e outras informações a respeito do próximo encontro. Mas haverá ampla divulgação do evento e esperamos você lá!

Encontro Nacional Tottenham Brasil em São Paulo

 

Encontro Nacional Tottenham Brasil no Rio de Janeiro
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Fábio Malet

Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e analista de sistemas. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby, e, pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha o Tottenham desde o começo da temporada 2002-03, por causa de Robbie Keane, do qual tornou-se fã pelo seu desempenho na Copa do Mundo 2002. No Brasil, torce para o Grêmio desde suas primeiras palavras.