Aquele 1% segue vagabundo…

Que o Chelsea é virtualmente o campeão da Premier League, todo mundo já sabe. Que provavelmente os Blues seriam os campeões, a menos que uma hecatombe caísse sobre os ombros do time de Antonio Conte já não era novidade desde o fim de 2016. Mas assim como aconteceu na temporada passada, o Tottenham consegue ameaçar até o fim, tentar colocar uma pressão e é o último time a ainda ter um fio de esperança no título, restando poucas rodadas para o encerramento do melhor campeonato de clubes do mundo. Se o Chelsea tem 99% de chances (ou mais), nos apegamos ao vagabundo 1%.

Não lanço aqui um apelo para que acreditemos até o fim, nada disso. A vaca provavelmente já foi pro brejo mesmo, não tem porque a gente ficar enganando. Esse texto vale muito por essa montagem mal feita no Photoshop e para refletirmos sobre tudo que houve de bom na temporada. Até porquê, matematicamente, precisaríamos fazer 9 pontos nas 3 rodadas restantes e ver os Blues somarem no máximo 2 pontos nos 3 jogos a disputar. Se essa improvável combinação acontece, iríamos então para uma disputa no saldo de gols. Hoje, levamos vantagem em 2 tentos (48 a 46).

Nós temos a tabela mais adversa e apenas um jogo em casa, contra o sempre complicado Manchester United. O Chelsea visita apenas o West Brom e depois tem duas oportunidades para sacramentar sua conquista. Sejamos racionais, já era. Mas vamos pensar um pouco: ter a melhor campanha da nossa história na Premier League, com 77 pontos somados e possibilidade de alcançar até 86 (que é pontuação de campeão). Estar classificado para a fase de grupos da Champions League com várias rodadas de antecipação, chegando ao maior torneio continental pela segunda vez seguida. Tá ruim?

Olhando para o nosso jovem elenco, não enxergo ninguém com necessidade de deixar o clube. Especulações existem, Kyle Walker parece ser muito assediado, mas não vou me surpreender caso o camisa 2 permaneça nos Spurs por mais alguns anos. O Tottenham não precisa e nem quer vender ninguém. Chegadas, talvez apenas elementos de backup no plantel ou que proporcionem uma maior rotação do elenco. Mas em linhas gerais e conhecendo o trabalho de Pochettino, esperemos poucas novidades na próxima janela de transferências.

Após o rodeio, fica a quase-certeza que o título não virá na atual temporada. Por vacilos nossos, claramente, mas também porquê o Chelsea foi muito competente, realizou uma campanha espetacular até aqui. Não é demérito ser vice-campeão da Premier League, muito pelo contrário. Lutemos para sacramentar logo essa condição e mostrar força, para provar que o Tottenham não é mais o time que sucumbe no fim da temporada. Já quebramos alguns tabus, que venha o próximo. E por mais que pareça uma desculpa, dessa vez tem cheiro de verdade. Os Spurs estão mais perto do que nunca de retornar aos títulos e, consequentemente, a primeira prateleira do futebol mundial.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • PEPINO AZUL

    Chelsão ja é campeão!