EPL – Tottenham 2×0 Arsenal – Acabou a maldição!

Todo time tem dias de sorte na vida. O Arsenal hoje provou-se, de fato, um time de muita sorte. Afinal, os Gunners foram à nossa casa, no último North London Derby da história de White Hart Lane, e foram derrotados por apenas 2 a 0. O Tottenham mostrou imensa superioridade, passou por cima e desperdiçou um punhado de chances claras, que poderiam ter feito deste penúltimo episódio da nossa despedida de casa uma goleada épica. Mas a vitória por 2 gols, anotados por Dele e Kane, justo eles, já está na história. Após 21 anos, os Spurs encerrarão a Premier League à frente dos seus rivais. Este é só o primeiro prêmio, pois a luta pelo título segue viva. Com 77 pontos, estamos a 4 do líder Chelsea, restando 4 rodadas para o fim do torneio.

Maurício Pochettino alinhou os Spurs de forma um pouco diferente, deixando Dembele no banco e optando por uma formação mais ofensiva, com a entrada do atacante Son. Sendo assim, o time saiu do 3-4-3 para um 4-2-3-1, com Dier e Wanyama trabalhando como volantes. O argentino alinhou seus comandados com Lloris; Trippier, Alderweireld, Vertonghen, Davies; Wanyama, Dier, Eriksen, Dele, Son; Kane. Já o Arsenal foi mandado a campo por Arsene Wenger com Cech; Gabriel Paulista, Koscielny, Monreal; Chamberlain, Xhaka, Ramsey, Gibbs; Ozil, Sanchez, Giroud.

O primeiro tempo foi de absoluta superioridade dos Spurs. Buscando manter a invencibilidade em casa e exorcizar de vez o “St. Totteringham’s Day” (nome dado ao dia em que o Tottenham não podia mais alcançar o seu rival na tabela), o time dominava a posse de bola e conseguia criar algumas oportunidades. Antes da primeira volta no cronômetro, Kane já tinha feito Cech trabalhar. Aos 22′, a primeira chance “imperdível” perdida. Kane bateu, a bola desviou na zaga e se ofereceu para Dele, com o gol vazio. O meia, acoçado pela marcação, cabeceou de raspão e a bola tirou tinta da trave. Aos 26′, foi Son que fez o que quis contra Chamberlain, viu seu chute desviado sobrar para Eriksen, sem goleiro. O dinamarquês concluiu de canhota, no travessão.

Na etapa complementar, os times não mexeram e os Spurs entrou “pra matar”. Wanyama, aos 48′, parou em bela defesa de Petr Cech. Mas aos 55′, nem a experiência do goleiro tcheco salvou os Gunners. Dele e Eriksen tabelaram, o dinamarquês driblou Monreal e finalizou para grande defesa de Cech. No rebote, Dele Alli se esticou todo para bater de canhota, inaugurando o marcador. Dois minutos depois, Kane foi pra cima de Gabriel Paulista, driblou o brasileiro e foi derrubado. Pênalti que o próprio Kane bateu firme, na buchecha da rede, para ampliar a vantagem.

O Arsenal precisava pressionar e até tentou, mas as chances mais perigosas continuaram sendo do time da casa. Cech conseguiu mas três defesas absurdas, em um chute de Vertonghen, uma cabeçada de Alderweireld e numa finalização cara a cara com Harry Kane. E ainda houve um pênalti claríssimo em toque de mão de Alexis Sanchez após cortar um cruzamento de Son, que só o árbitro Michael Oliver não viu… O triunfo evidenciou a superioridade do Tottenham na temporada, após tantos anos de sofrimento no dérbi local.

Com mais uma vitória, os Spurs estarão garantidos na fase de grupos da próxima Champions League e consumarão, no mínimo, o vice-campeonato inglês. Nosso próximo duelo será na sexta-feira (05/05) contra o West Ham, no Estádio Olímpico de Londres.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • Danilo Veroneze #GreenRunsDeep

    adeus maldição

    • Fábio Malet

      A primeira da sequência de muitos campeonatos que terminaremos na frente do rival!