Que homão da porra!

Harry Kane já dispensa apresentações. Se há três anos, o atacante inglês chamava atenção do mundo fazendo uma ótima temporada pelos Spurs, hoje já é um rosto bem conhecido no mundo inteiro. Com 23 anos nas costas, a desconfiança em torno de sua qualidade foi dinamitada há tempos. Afinal, em 2014/15, havia um temor de que o atacante fosse um dos notórios “one season wonder”, aquele atleta que brilha em uma temporada e nunca mais consegue reeditar o desempenho. Algo muito corriqueiro pela terra da Rainha e também visto por aqui, com exemplares da estirpe de Dill, Josiel e Dimba.

Mas a temporada 2015/16 foi a afirmação. Se no primeiro ano, Kane foi às redes 31 vezes em 51 aparições, o desempenho na segunda época não ficou muito para trás. 28 bolas nas redes inimigas em 50 jogos, agregando a isso o prêmio de maior goleador da Premier League, com 25 gols. Na época atual, o início foi abaixo do esperado e uma lesão grave o tirou dos gramados por um mês e meio. Mas o desempenho subiu desde a recuperação e com alguns hat-trick’s pelo caminho, os números atuais impressionam: 24 gols em apenas 28 partidas. Confira o desempenho em números no quadro abaixo.

Mas nem tudo são flores. O desempenho nas competições europeias não esteve nem perto de um nível aceitável. A lesão o tirou de 3 jogos da Champions League, e Kane marcou 2 gols nos 3 duelos que disputou. Mas as chances perdidas contra o Monaco, em Wembley, deixam a pulga atrás da orelha, afinal tudo poderia ter sido diferente no grupo. E pela Europa League, não bastou o pé torto nos dois duelos ante o Gent. Kane ainda fez um gol contra em Wembley, que soterrou as chances dos Spurs.

É uma característica inerente à função de homão da porra ter deslizes. Momentos questionáveis, decepcionantes, humanos. E é bom que todos saibamos disso, Harry Kane não é um super herói, por mais que às vezes pareça. É um ótimo atacante, capaz de tirar coelhos da cartola que levam o Tottenham para longe do sufoco. O duelo contra o Everton foi prova disso, no momento em que o camisa 10 desfere um chute de muito longe, que vence Joel Robles. Após marcar seu segundo tento na partida, em finalização digna de quem manja do ofício, ele perde uma nova ocasião, tentando uma cavadinha. Humano…

Harry Kane é um patrimônio do Tottenham, um dos jogadores mais promissores e eficazes que nasceram no Reino Unido. Que o time continue entendendo sua importância decisiva para os nossos sucessos ou fracassos na temporada. Liderar a tabela de artilheiros da liga mais competitiva do mundo, pelo segundo ano consecutivo, é um fato notável. E justamente por isso precisamos que todo o clube cresça, para satisfazer as ambições de Kane, de modo que ele jamais sinta a necessidade de deixar White Hart Lane, como aconteceu com Gareth Bale, o último monstro que esteve por aqui. Vida longa a Harry Kane, ele é um de nós.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)