UCL – Tottenham 0x1 Leverkusen

Em mais uma atuação patética, o Tottenham perdeu em casa para o Bayer Leverkusen, por 1 a 0, nesta tarde de quarta-feira (02) no Estádio de Wembley. Com o segundo tropeço seguido em seus domínios, os Spurs colocam um pé e meio fora da competição, necessitando vencer os dois jogos – contra Monaco e CSKA – para garantir uma vaga. Difícil imaginar isso de um time que não ganha de ninguém há 6 partidas.

Contando ainda com os desfalques de Alderweireld, Lamela e Kane, todos por lesão, Maurício Pochettino alinhou seu Tottenham com uma escalação sem grandes surpresas. Exceção a Ben Davies na lateral, enquanto o titular Rose foi poupado, ficando no banco de reservas. O time entrou com Lloris; Walker, Dier, Vertonghen, Davies; Wanyama, Dembele, Alli, Sissoko, Eriksen; Son. Já o Leverkusen foi alinhado por Roger Schmidt num esquema mais conservador que da partida anterior, com Baumgartlinger na vaga de Çalhanoglu. Sendo assim, o time das aspirinas entrou com Leno; Hendrichs, Toprak, Tah, Wendell; Baumgartlinger, Aranguiz, Kampl, Brandt; Mehmedi, Chicharito.

O primeiro tempo foi horroroso tecnicamente, com os dois times abusando dos erros de passe e não criando praticamente nada. O primeiro chute a gol foi aos 33′, quando Eriksen avançou desde o meio-campo e bateu forte. O arremate foi no meio do gol e Leno espalmou. Uma besteira de Walker, aos 43 minutos quase nos custou um gol. O lateral errou o domínio e foi desarmado por Brandt. Vertonghen travou no primeiro lance, a bola sobrou para Chicharito tocar de canhota e a bola raspou no pé do nosso zagueiro belga, passando a milímetros da trave. Foi tudo em um pobre primeiro tempo.

Para a etapa complementar o Tottenham voltou melhor, se mostrando mais disposto. Walker conseguia achar espaços pela direita, mas a bola nunca chegava nos pés de algum atacante. Para mostrar que tudo que está ruim piora, o time alemão ameaçava muito pouco. Mas quando chegava, era perigosíssimo. Dier cochilou na hora de recuar a bola e a perdeu para Mehmedi. O suiço avançou e cruzou para trás. A primeira tentativa de Chicharito foi interceptada por Vertonghen. A segunda passou pelo zagueiro, mas Lloris salvou em uma defesa sensacional. Aos 65′, então, ninguém fez o milagre. Após erro na saída de bola, o chute de Brandt desviou em Walker e sobrou no pé de Kampl, que dominou e rolou no canto, abrindo o placar.

No desespero, o Tottenham tentou, mas não mereceu nada do jogo. Janssen se mostrou muito perdido no ataque e parece não ter a presença de área necessária a um camisa 9. A única chance real de gol foi em cobrança de falta de Dier, que parou no travessão. Son, Sissoko, Eriksen e Alli estiveram absurdamente apagados, mais uma vez, o que mostra como o time sente falta de alguém que chame minimamente a responsabilidade – nem que seja para perder os gols, como Kane vinha fazendo ultimamente. E Pochettino ainda completou o show de horrores, com uma substituição injustificável, colocando o volante Winks na vaga do meia Eriksen. Enfim, o sonho está muito perto de acabar. Vexame, mais uma vez.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)