Desempenhos na Data Fifa

Data Fifa é até legal, especialmente quando o time vive um bom momento e vem de uma vitória acachapante sobre o líder e favorito Manchester City. O lado ruim é aquele tradicional medo de que a equipe perca o embalo, mas ninguém é louco de reclamar muito por viver 15 dias mais amenos, com o coração batendo tranquilo.

Entretanto, é útil analisar o desempenho dos nossos atletas a serviço de suas seleções. Afinal, os jogos valem nada mais, nada menos, que a classificação para a próxima Copa do Mundo, em 2018, na Rússia. Dos 22 atletas que compõem o plantel principal do Tottenham, apenas Kane, Wanyama, Vorm, Nkoudou, Trippier, Dembele, Carroll e Lopez não se juntaram a suas seleções. E alguns, como Kane e Dembele, por questão física, já que são figurinhas carimbadas em convocações.

Quem mais se aproveita do talento do nosso plantel é a Inglaterra (Walker, Rose, Dier, Alli). Logo após, temos França (Lloris, Sissoko) e Bélgica (Alderweireld, Vertonghen). Os Spurs também estiveram presentes na Holanda (Janssen), Coréia do Sul (Son), Argentina (Lamela), Dinamarca (Eriksen), Áustria (Wimmer) e País de Gales (Davies). Vamos analisar o desempenho de cada um nas partidas.

Walker – Titular nos dois jogos da seleção inglesa e com atuação destacada nos confrontos frente a Malta e Eslovênia. Jogou os 180 minutos e parece cada vez mais dono da camisa 2 do English Team.

Rose – Reserva no duelo contra Malta, entrou na segunda etapa e impressionou, sendo titular contra a Eslovênia. Com a baixa produtividade de todo o time, foi prejudicado, aparecendo de forma notória apenas por tomar uma caneta absurda de Ilicic, que quase terminou em gol.

Dier – Após ficar os 90 minutos no banco na vitória fácil sobre Malta, Dier foi titular e atuou toda a partida contra a Eslovênia, no empate sem gols fora de casa. Muita marcação no meio e um cartão amarelo na conta, foi o saldo de sua participação na data Fifa.

Alli – Titular do English Team nas duas partidas, marcou um gol na vitória contra Malta, por 2 a 0. Já diante da Eslovênia, fora de casa, não teve grande desempenho individual, acompanhando a média da equipe, que fez jogo muito abaixo do desejável, escapando da derrota graças a boas defesas de Joe Hart.

screen-shot-2016-10-08-at-20-14-40

Lloris – Titular e capitão da seleção francesa nos dois jogos realizados no período. No Stade de France, comandou sua equipe para a goleada sobre a Bulgária por 4 a 1. O gol sofrido foi em cobrança de pênalti. E o segundo jogo foi contra a Holanda, em Amsterdã, confrontando o companheiro de time Janssen. Vitória por 1 a 0 e atuação tranquila do camisa 1.

Sissoko – Outro titular da seleção francesa nos dois jogos foi Moussa Sissoko. Atuou os 90 minutos em ambos os confrontos, tendo bela atuação contra Bulgária e Holanda, mas sem contribuir efetivamente com gols e assistências.

Alderweireld – Formou a dupla de zaga com Vertonghen nas duas partidas da sua Bélgica, com atuações muito tranquilas. Na goleada por 4 a 0 sobre a Bósnia, marcou o terceiro gol da equipe, aproveitando cruzamento de Mertens. E no passeio por 6 a 0 sobre Gibraltar, iniciou a jogada do último gol, anotado por Hazard.

Vertonghen – Ao lado do companheiro de time Alderweireld, Vertonghen teve atuações discretas nas duas vitórias. Mas convenhamos, a “ótima geração belga” pegou vaquinha. Em casa, 4 a 0 contra a Bósnia. E no duelo fora de casa, teve pela frente a fraquíssima seleção de Gibraltar: 6 a 0, fora o baile.

Wimmer – Teve desempenho desastroso, assim como seu time. No empate contra País de Gales, por 2 a 2, rebateu mal uma bola que renderia no primeiro gol e marcou contra o segundo tento adversário. Em visita à Sérvia, foi derrotado por 3 a 2, com atuação mais discreta. Nas duas partidas, jogou como lateral esquerdo.

Davies – Titular nos dois jogos de País de Gales, ambos jogando como zagueiro, Davies foi discreto como sempre e sua seleção não esteve bem, capitalizando dois empates na data Fifa. 2 a 2 fora de casa, contra a Áustria, e 1 a 1 nos próprios domínios, frente a Geórgia.

Eriksen – O armador naufragou junto com a seleção dinamarquesa, que perdeu os dois jogos no período. No revés frente à Polônia por 3 a 2, a única coisa digna de nota que o nosso armador fez foi tomar um cartão amarelo. E no tropeço em casa diante de Montenegro, por 1 a 0, nada produziu.

Son – O sul-coreano foi titular nos dois jogos da sua seleção, tendo desempenhos discrepantes. Na quinta-feira, vitória por 3 a 2 sobre o Catar. Son deu assistência para o primeiro gol, marcado por Ki Sung-Yong, e fez o gol da vitória de virada. Ontem, no segundo jogo, contra o Irã, Son não teve boa exibição e viu sua seleção perder por 1 a 0.

Lamela – Lamela viajou para basicamente nada. O meia nem sujou o uniforme, permanecendo todo o tempo no banco nos dois tropeços argentinos: o empate por 2 a 2 contra o Peru e a derrota em casa, por 1 a 0, para o Paraguai.

Janssen – Janssen foi titular nos dois jogos da Holanda. Na vitória sobre a Bielorrúsia, por 4 a 1, Janssen teve bela atuação e marcou um golaço em chute de fora da área, para fechar o marcador. Já na partida contra a França, derrota por 1 a 0 e atuação apagada do centroavante.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)