Parabéns, Leicester

Agora sim, matematicamente, o Leicester City é o campeão da Premier League 2015/2016. Inicialmente candidato ao rebaixamento, o clube conseguiu levar o “conto de fadas” até as páginas finais e concluiu sua obra com perfeição. O Tottenham, que vestiu a máscara de vilão do folhetim durante boa parte da campanha, não teve competência para bater o time mais querido das últimas semanas. E com todo o merecimento, ambos deverão estar na próxima edição da Liga dos Campeões, para continuar protagonizando grandes duelos e buscando os triunfos, cada um a seu estilo: em um pragmatismo de eficiência impecável, como os Foxes, ou em um estilo mais vistoso e técnico, como os Spurs.

Foi engraçado ver como todo mundo enxergou o Leicester como aquela tartaruga em cima de uma árvore: ninguém sabe como ela chegou lá, mas em algum momento, iria cair. E a tartaruga foi se mantendo firme, agarrando-se sabe-se-lá como ou em quê, mas lutando com todas as suas forças e seguindo no alto. Em uma época em que todos os “macacos velhos” que, costumeiramente, brigam pelo título não conseguiram se achar, coube a um time de pequena expressão alcançar o maior prêmio do rolê. E não há demérito algum no futebol feio que os comandados de Ranieri praticam. Existem diversas formas de se jogar futebol e, no fim das contas, apenas uma coisa importa de fato: quem vai festejar e quem vai olhar de baixo, com cara de que podia ter feito mais, mas apenas aplaude, resignadamente. Esse é o Tottenham.

Foto: Reprodução / Zimbio
Sim, nós secamos vocês (e muito). Não deu certo, paciência (Foto: Reprodução / Zimbio)

A nossa temporada foi linda, Pochettino e os jogadores merecem muitos elogios. E o melhor de tudo é a sensação de que nosso time está ainda azeitando e tem muito a evoluir. Ou seja: nós fomos o time que apresentou o melhor futebol da temporada, temos uma série de jogadores jovens que tem totais condições de jogar ainda melhor na próxima temporada e, aparentemente, superamos velhos traumas das últimas décadas, como a disputa local com o Arsenal e a dificuldade em vencer grandes adversários, como a dupla de Manchester. Demos shows, goleadas, recuperamos a auto-estima dinamitada no período pós-Bale e seremos candidatos novamente na próxima temporada. Isto, é o mais importante.

O Leicester mostrou para todo o mundo que é possível sonhar, mesmo sem ter todo o capital à disposição. Um bom serviço de observação pode fazer muita diferença e diminuir o abismo que o dinheiro costuma causar. Quem vê Mahrez, Kanté, Vardy de um lado, Alli, Kane e Dier do outro, enxerga um trabalho muito bem feito nessa prospecção de atletas e aproveitamento da base. O futebol é a coisa mais importante dentre as coisas menos importantes da vida, como definiu, certeiramente, Arrigo Sacchi. E no fim das contas, o que importa é se divertir. A temporada foi divertida, e muito. Portanto, parabéns Leicester, vocês tem muito o que comemorar. E nós também. Um brinde aos envolvidos e que venha o próximo capítulo.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)