EPL – Chelsea 2×2 Tottenham

Acabou o sonho matemático. Nesta segunda-feira, 2, o Tottenham não conseguiu, pelo menos, adiar a comemoração do Leiceister City, que viu, de casa, um empate no dérbi londrino e pôde celebrar seu feito sem sequer entrar em campo. O Stamford Bridge parecia que iria ser o palco da quebra de um tabu que dura 26 anos. Apesar de abrir 2 a 0 na primeira etapa, o Tottenham sucumbiu a sua própria falta de ambição no segundo tempo e deixou os Blues empatarem, deixando um gosto amargo na boca do torcedor dos Spurs.

Gus Hiddink alinhou sua equipe da seguinte maneira: Begovic; Ivanovic, Cahill, Terry, Azpilicueta; Mikel, Matic (Oscar); Willian, Fàbregas, Pedro (Hazard), Costa. Mauricio Pochettino, por sua vez, enviou a campo a equipe titular dos Spurs que todos conhecem: Lloris; Walker, Alderweireld (Mason), Vertonghen, Rose (Davies); Dier, Dembélé; Eriksen, Lamela, Son (Chadli); Kane.

Matic em disputa de bola com Walker e Dembélé. - Foto: Lance
Matic em disputa de bola com Walker e Dembélé. – Foto: Lance

A partida começou equilibrada, com o Tottenham saindo mais para o jogo, mostrando o porquê de ser o vice-líder da competição. O placar, contudo, só foi inaugurado aos 35 minutos de jogo, quando Erik Lamela, caminhando com a bola dominada nas proximidades da área adversária, enfiou um passe para Harry Kane no meio da zaga do Chelsea. O artilheiro dos Spurs teve calma para driblar Asmir Begovic e colocar a bola no fundo das redes. O gol fez com que o Tottenham crescesse ainda mais na partida, resultando na ampliação do placar: Christian Eriksen recebeu de Dembélé após erro grosseiro de Ivanovic e lançou Son Heung-Min, que, cara a cara com o goleiro do Chelsea, não desperdiçou a oportunidade. Placar no intervalo: 0 a 2.

O segundo tempo, contudo, foi muito fraco da parte do Tottenham. A insistência no que nunca levou a equipe a glórias: administrar o placar. O Tottenham nunca soube administrar vantagens, sempre sofre mais do que deveria e, na maioria das vezes, sucumbe à própria falta de ambição. Infelizmente, não tivemos um desfecho diferente desse. Gary Cahill diminuiu o placar antes dos 15 minutos da segunda etapa, aproveitando a sobra na cobrança de escanteio de Willian. O Chelsea aumentou seu volume de jogo, a entrada de Eden Hazard fez bem ao time. Foi o próprio belga que deu números finais ao jogo, quando, da entrada da área, após receber passe de Diego Costa, colocou a bola no ângulo de Hugo Lloris. Placar final: 2 a 2.

Assim, o Leicester se sagra o campeão da English Premier League. O Tottenham, agora, precisa focar em vencer o Southampton, garantindo, assim, a segunda colocação, que ainda está ameaçada pelo Arsenal, já que a vantagem é de apenas 3 pontos (e um ótimo saldo de gols). O jogo contra os Saints, em White Hart Lane, ocorre neste domingo, às 10h30 da manhã. O Tottenham tem que entrar em campo e garantir essa vitória, sem administrar, mas amassando seu adversário, como fez em algumas oportunidades na temporada. A cota de se fraquejar já acabou há tempos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba (no Triângulo Mineiro). Licenciado em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela UFTM. Tenho 22 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.