EPL – Chelsea 2×2 Tottenham

Acabou o sonho matemático. Nesta segunda-feira, 2, o Tottenham não conseguiu, pelo menos, adiar a comemoração do Leiceister City, que viu, de casa, um empate no dérbi londrino e pôde celebrar seu feito sem sequer entrar em campo. O Stamford Bridge parecia que iria ser o palco da quebra de um tabu que dura 26 anos. Apesar de abrir 2 a 0 na primeira etapa, o Tottenham sucumbiu a sua própria falta de ambição no segundo tempo e deixou os Blues empatarem, deixando um gosto amargo na boca do torcedor dos Spurs.

Gus Hiddink alinhou sua equipe da seguinte maneira: Begovic; Ivanovic, Cahill, Terry, Azpilicueta; Mikel, Matic (Oscar); Willian, Fàbregas, Pedro (Hazard), Costa. Mauricio Pochettino, por sua vez, enviou a campo a equipe titular dos Spurs que todos conhecem: Lloris; Walker, Alderweireld (Mason), Vertonghen, Rose (Davies); Dier, Dembélé; Eriksen, Lamela, Son (Chadli); Kane.

Matic em disputa de bola com Walker e Dembélé. - Foto: Lance
Matic em disputa de bola com Walker e Dembélé. – Foto: Lance

A partida começou equilibrada, com o Tottenham saindo mais para o jogo, mostrando o porquê de ser o vice-líder da competição. O placar, contudo, só foi inaugurado aos 35 minutos de jogo, quando Erik Lamela, caminhando com a bola dominada nas proximidades da área adversária, enfiou um passe para Harry Kane no meio da zaga do Chelsea. O artilheiro dos Spurs teve calma para driblar Asmir Begovic e colocar a bola no fundo das redes. O gol fez com que o Tottenham crescesse ainda mais na partida, resultando na ampliação do placar: Christian Eriksen recebeu de Dembélé após erro grosseiro de Ivanovic e lançou Son Heung-Min, que, cara a cara com o goleiro do Chelsea, não desperdiçou a oportunidade. Placar no intervalo: 0 a 2.

O segundo tempo, contudo, foi muito fraco da parte do Tottenham. A insistência no que nunca levou a equipe a glórias: administrar o placar. O Tottenham nunca soube administrar vantagens, sempre sofre mais do que deveria e, na maioria das vezes, sucumbe à própria falta de ambição. Infelizmente, não tivemos um desfecho diferente desse. Gary Cahill diminuiu o placar antes dos 15 minutos da segunda etapa, aproveitando a sobra na cobrança de escanteio de Willian. O Chelsea aumentou seu volume de jogo, a entrada de Eden Hazard fez bem ao time. Foi o próprio belga que deu números finais ao jogo, quando, da entrada da área, após receber passe de Diego Costa, colocou a bola no ângulo de Hugo Lloris. Placar final: 2 a 2.

Assim, o Leicester se sagra o campeão da English Premier League. O Tottenham, agora, precisa focar em vencer o Southampton, garantindo, assim, a segunda colocação, que ainda está ameaçada pelo Arsenal, já que a vantagem é de apenas 3 pontos (e um ótimo saldo de gols). O jogo contra os Saints, em White Hart Lane, ocorre neste domingo, às 10h30 da manhã. O Tottenham tem que entrar em campo e garantir essa vitória, sem administrar, mas amassando seu adversário, como fez em algumas oportunidades na temporada. A cota de se fraquejar já acabou há tempos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba, no Triângulo Mineiro, graduando em Licenciatura em Letras com Habilitação em Português e Inglês. Tenho 21 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.