Siga em frente, olhe para o lado…

Você não leu errado. Esse pretensioso escriba acaba de colocar esse clássico de Leandro Lehart, imortalizado pela espetacular Carreta Furacão, como título de um texto sobre um clube inglês. Sua reação imediata pode ser um simpático e justificável “WTF?!”, mas o desenrolar do texto explicará (ou não) a lógica. A questão é que nós temos falado muito em Leicester e na briga pelo título. Isso nos faz desviar um pouco o foco daquele objetivo que já seria considerado um título no início da temporada: a classificação para a Champions League. E a hora não é de apenas olhar para cima, buscando diminuir os 7 pontos para o líder.

É hora de olhar para baixo e para o lado (e se ligar no mestiço, na batida do cavaco). Analisando a tabela, temos 4 pontos de vantagem para o Arsenal, terceiro colocado. Mas o nosso rival tem um jogo a menos no certame, apontando que a nossa frente, por pontos perdidos, é de apenas 1 ponto. Para Manchester City, Manchester United e West Ham, os outros postulantes ao top4, nossa vantagem, seguindo a mesma lógica, é de 5, 6 e 8 pontos, respectivamente. Com 18 em disputa e diversos confrontos diretos, a situação está longe de ser confortável.

Só vejo craques (Foto: Reprodução / Youtube + Falta de limite na zoeira)
Só vejo craques (Foto: Reprodução / Youtube + Falta de limite na zoeira)

Ah, mas se a gente tiver como foco a conquista do título, seguramente receberá como “prêmio de consolação” a vaga na Liga dos Campeões, certo? Não necessariamente. Mais até que os aspectos táticos e técnicos do jogo, está o psicológico. E o momento exige uma postura firme dos nossos jogadores, em sua maioria muito jovens. É uma preocupação que Pochettino e seu staff precisam estar aptos a identificar e lidar. A pressão já fez sucumbir planteis até mais qualificados na história do futebol e o momento exige preparação em todos os níveis. Serão seis guerras.

Analisando jogo a jogo, temos um confronto duríssimo no próximo domingo (10), contra o Manchester United, em White Hart Lane. Não pode ter conversa, erro, nada do tipo. O time teve a semana pra descansar e precisa vencer, seja como for. Um dia antes, o West Ham recebe o Arsenal e um empate (ou triunfo dos Hammers, algo que eu até prefiro), seria excelente. Leicester e Manchester City tem duelos perfeitamente ‘ganháveis’, com o City recebendo o West Brom e os Foxes visitando o ameaçadíssimo Sunderland. Jermain Defoe representa nossa grande esperança para o duelo de reduzir a vantagem para a liderança.

A questão é exatamente essa, não se descuidar e garantir o quanto antes a vaga na Liga dos Campeões, de preferência à frente do Arsenal, fato que não conseguimos desde 1995. A partir daí, se o título vier, é um bônus. Um puta bônus, diga-se de passagem. É hora do Tottenham crescer, se impor, da torcida sacudir o partideiro e mostrar pro mundo inteiro (mundo inteiro), do que esse time é feito e o que esse grupo efetivamente merece.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)