O melhor Dembélé do mundo

Dembélé é um daqueles sobrenomes de origem francesa/africana que se tornaram populares no futebol. Tal qual as famílias Touré, Baldé, Camara, Sané, Ndiaye e tantas outras, podemos identificar uma penca de personagens que tem em comum este sobrenome. Fazendo uma busca simples, localizei mais de 20 no futebol atual, entre jogadores, treinadores e assistentes técnicos. Mas na análise que envolve Denis, Garra, Bassirou, Siranama, Bira, Bakary, Nama, Souleymane, Ibou, Kissima e mais alguns, um certo Moussa se destaca.

O “nosso” Moussa Dembélé é belga, tem 28 anos e parece estar em seu melhor momento com a camisa do Tottenham. Obviamente os três gols marcados em sequência pesam muito para essa avaliação, mas o fato é que o jogador nunca havia conseguido se firmar como um homem decisivo em White Hart Lane, o que parece estar mudando. Após iniciar a carreira como centroavante no Beerschot, de seu país, foi para o Willem II na temporada 2005/06. No futebol holandês, começou a se firmar como um ponta, especialmente quando se destacou e foi contratado pelo AZ. No time de Alkmaar, treinado por Van Gaal, atingiu sua fase mais artilheira, com 14 gols na temporada 2006/07.

Dempelé? (Foto: Reprodução/canmua.net)
Dempelé? (Foto: Reprodução/canmua.net)

Na época 2008/09, esteve infernal jogando pelos lados do ataque, especialmente pela esquerda. Foi peça vital no time que conquistou o título holandês daquele ano. Em 2010 desembarcaria no futebol inglês, atraído pela oferta do Fulham que viu no atleta um ótimo nome para jogar na tradicional função britânica de winger. Seu rendimento não foi o melhor e o então treinador Mark Hughes viu na necessidade de um meia central, a oportunidade de testá-lo pelo setor. De lá, o agora meio campista Dembélé nunca mais saiu.

Jogando praticamente como um volante, seus times podem contar com um jogador fisicamente forte e que conta com uma proteção de bola impecável, adquirida na época de centroavante, na inerente função de pivô, e aprimorada com o tempo. Sua boa capacidade de dribles também é um trunfo, por mais que um erro nesse fundamento seja fatal para quem atua nessa fase do campo. Seu destaque o trouxe ao Tottenham em 2012, onde estreou marcando um gol e caindo nas graças da torcida. Era o substituto para o novo galático Luka Modric. Apesar do estilo de jogo bem diferente, conseguiu cavar seu espaço e se estabelecer como um titular importante.

No entanto, oscilou muito. Ao passo que é um jogador quase impossível de desarmar, demonstra muitas vezes um jogo improdutivo. Retratado nos jogos da franquia Fifa até com um certo exagero, sempre me perguntei de onde os programadores da EA Sports tiravam aquele monstro. Somando as três primeiras temporadas nos Spurs, marcou um total de 5 gols. Jogando sempre como um segundo volante, frequentemente foi titular da equipe. Porém o surgimento de novos nomes para o setor, estabelecendo uma concorrência com Dier, Alli, Mason, Bentaleb e Carroll, fizeram Pochettino o testar um pouco mais a frente, na linha de meias. O que deu certo em alguns jogos da temporada passada vem rendendo frutos na atual e se tornou uma arma importante do clube nessa afirmação.

Que isso, fera! (Foto: Reprodução / ogol)
Que isso, fera! (Foto: Reprodução / ogol)

Na prática, Dembélé é basicamente o armador central no 4231 de Pochettino, fazendo com que Lamela e Eriksen atuem mais abertos no esquema tático, no lado direito e esquerdo, respectivamente. Como o belga naturalmente recua para ajudar na armação, a estratégia cria uma vantagem tática na equipe, dando ao treinador a possibilidade de mudar posicionamentos e formações sem precisar recorrer ao banco. E a forma técnica do camisa 19 tem agradado, marcando belos gols contra Bournemouth, Aston Villa e Anderlecht – este último em um chute espetacular, que nos rendeu a vitória.

Se a boa fase se estenderá é impossível prever, por mais que seja nosso papel torcer. Em um elenco que não preza por muitas opções, ter jogadores polivalentes é essencial para uma boa fluidez da temporada. De um jogador de 28 anos, esperamos é que ele se estabeleça como uma referência da equipe agora, pois até pouco, ninguém sofreria muito caso ele deixasse o clube. Que o bom momento permaneça, sua capacidade de proteção da bola siga como uma característica marcante, mas não a única. Talento, ele tem. O foco, a regularidade e o tesão por ser efetivamente, o monstro que já é nos videogames, serão o diferencial para saber como Moussa Dembélé será lembrado no futuro.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • Fernando C.

    O legal é que durante os jogos ele e o Delle Alli se revezam. ora um esta mais na armação, ora um esta como segundo volante. tem sido mto boa essa troca durante os jogos.