Noites europeias 2 – Bruxelas

A cidade

Bruxelas desenvolveu-se de uma fortificação do século X, fundada por um descendente de Carlos Magno, para uma cidade de fato.  A capital belga tem uma população de 1,2 milhão e a área metropolitana abriga um pouco menos de 2 milhões de habitantes, ambas as maiores do país.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, Bruxelas é um dos principais centros políticos, sendo a capital  de facto da União Europeia, além de abrigar o secretariado do Benelux e as instalações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN); a cidade tornou-se residência multilingue de inúmeras organizações, políticos e diplomatas.

É situada a apenas alguns quilômetros ao norte da fronteira entre duas comunidades linguísticas: francês no sul, holandês ao norte. Historicamente uma cidade que fala holandês, Bruxelas deu uma guinada para a língua francesa desde a independência da Bélgica em 1830. Hoje, apesar da maioria de seus habitantes falarem francês, a cidade é oficialmente bilingue. Todos os nomes de ruas, placas de trânsito, publicidade e serviços são exibidos nos dois idiomas.

Placa bilingue em Bruxelas
Placa bilingue em Bruxelas

O rival

O Anderlecht foi fundado em 1908 e é o maior campeão da Bélgica, com 33 titulos. Desde que venceu o primeiro campeonato, em 1946/47, jamais ficou fora das seis primeiras colocações. É de longe o maior clube do país e um dos dois com títulos internacionais – o outro é o KV Mechelen – com 2 Recopas Europeias (1975/76, 1977/78) e 1 Copa da Uefa (1982/83).

Confrontos contra o Anderlecht 

Foram 3 jogos e 3 empates, todos pela Copa da Uefa, e com o mesmo resultado no tempo normal: 1×1. O último jogo foi em Bruxelas, em 2007. Os jogos anteriores foram pela final de 1984 (importante lembrar que a final era disputada em dois jogos até 1996/97) e o último jogo foi em White Hart Lane, com vitória nossa.

Ficha técnica das Finais de 84 (e a nossa festa!)

9/5: Constant Vander Stock (Bruxelas); Público: 38000; Juiz: Bruno Galler (SUI); Gols: Miller (57′), Olsen (’85)

Anderlecht: Munaron; Grün, Degreef, Olsen, De Groote; Hofkens, Scifo, Vandereycken, Brylle; Vandernbergh (Arnesen), Czerniatynski. M: Van Himst

Spurs: Parks; Thomas, Roberts, Miller, Hughton; Stevens (Mabbutt), Perryman, Hazard, Galvin; Archibald, Falco. M: Burkinshaw

We are the Champions...
We are the Champions…

23/5: White Hart Lane (Londres); Publico: 46258; Juiz: Volker Roth (RFA); Gols: Czerniatynski (’60), Roberts (’84)

Spurs: Parks; Thomas, Roberts, Miller (Dick), Hughton; Stevens, Mabbutt (Ardiles), Hazard, Galvin; Archibald, Falco. M: Burkinshaw

Anderlecht: Munaron; Grün, Degreef, Olsen, De Groote; Hofkens, Scifo, Vandereycken, Vercauteren; Arnesen (Gudjohnsen), Czerniatynski (Brylle). M: Van Himst

Nos pênaltis, Tottenham 4 (Roberts, Falco, Stevens, Archibald; Thomas desperdiçou) – Anderlecht 3 (Grün, Scifo, Vercauteren; Olsen e Gudjohnsen perderam).

 

Próximo destino: Qarabag…

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

marcospassarella

Latest posts by marcospassarella (see all)