A grande entrevista – Harry Kane

Harry Kane fez (e ainda faz) uma temporada fantástica em 2014/2015. Em uma ascensão meteórica, o jovem Harry atingiu a impressionante marca de 30 gols em uma única temporada, foi eleito o “Melhor jogador do mês da BPL” em duas oportunidades consecutivas, janeiro e fevereiro, e para coroar tudo, foi eleito o “Jogador jovem da temporada”, da PFA, está na seleção da temporada da BPL eleita pela PFA e ficou em segundo lugar na eleição de “Melhor jogador da temporada”, da PFA, perdendo para Eden Hazard.

Aproveitando todo esse momento jubilante do jogador, o site do Tottenham preparou uma grande entrevista que aqui reproduzimos:

Entrevistador: Como você se sentiu ao ser eleito o Jogador Jovem da Temporada pela PFA?

Harry Kane: “Foi incrível. É uma honra e, como um jogador da Premier League, não há uma glória muito maior que isso. Foi um momento especial, que não irei esquecer. Foi um orgulho para mim e minha família. Ser selecionado pelos meus companheiros de profissão torna tudo mais especial. Isso mostra que você está no caminho certo e espero ser o primeiro prêmio de muitos.”.

Harry Kane com o prêmio de Melhor Jogador Jovem da PFA – THO

E: Como sua vida, fora de campo, mudou nos últimos seis meses? Você a descreveu como “maluca”.

HK: “Sim, está sendo maluca, mas faz parte da vida futebolística, você tem que lidar com situações fora de campo também. Você recebe mais atenção, mais pessoa vêm até você e a maneira como você lida com tudo o define como pessoa. As coisas mudaram dramaticamente para mim desde o início de temporada, mas da maneira certa, pelas razões certas.”.

E: Os fãs lhe apoiam e isso ocorre, talvez, por sentirem que você é um deles: um torcedor vivendo um sonho pelo clube que torce e fazendo tudo do jeito certo.

HK: “Muitos torcedores por aí querem se tornar jogadores, especialmente as crianças, e se eu conseguir ser um modelo para eles, será ótimo. Eu olhava para os jogadores quando era mais novo. Espero continuar nesse bom caminho e continuar evoluindo. Tenho muito tempo de carreira pela frente e preciso aproveita-la da melhor forma possível.”.

E: Voltando a agosto e a seus primeiros gols, na temporada, contra o AEL Limassol. Certamente, você nem ao menos sonhava que as coisas tomariam esse rumo.

HK: “Não, claro que não. Se eu dissesse que sim, estaria mentindo. Sempre achei que, se ganhasse a oportunidade de jogar, poderia causar um impacto e jogar bem, mas fui além, tive uma boa sequência de gols e acabei surfando na crista da onda. Minha confiança cresceu, meu jogo melhorou mais e mais e tudo isso veio junto, o trabalho que venho fazendo na academia, no centro de treinamento com o treinador e os outros jogadores: tudo parece ter caminhado bem nessa temporada. Mas claro, tudo é sobre constância. Espero repetir o bom momento nas próximas temporadas e continuar a melhorar.”.

E: Qual é a chave de seu desenvolvilmento?

HK: “Trabalho duro, paciência e acreditar sempre. Quando a chance vem, você faz de tudo para aproveita-la. Me deram a chance e aproveitei minha temporada até aqui. Estou aqui por ter aproveitado essa chance.”.

E: Recentemente, você atingiu a marca de 30 gols e logo após, algumas conquistas individuais. Como está lidando com tudo isso?

HK: “Em alguns jogos, você tenta não se preocupar muito com o que já foi feito. Apenas tento olhar para frente, me desenvolver. Talvez quando estiver numa praia perceba o que fiz, porque, pessoalmente, foi uma temporada incrível e que não vou esquecer. Mas por hora, ainda temos partidas a jogar. Tentarei marcar o máximo de gols que conseguir e ver até onde podemos ir.”.

E: Finalmente, quais são suas metas para o fim da temporada?

HK: “Ganhar o máximo de jogos possível. Temos apenas 4 jogos restantes, mas temos que dar nosso melhor e ver em que posição iremos terminar.”.

Entrevista no site oficial do clube

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba (no Triângulo Mineiro). Licenciado em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela UFTM. Tenho 22 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.