Sandálias da humildade

Provavelmente você conhece o termo, muito popular por um quadro do programa Pânico, no final da década passada. Os apresentadores do programa ganharam notoriedade por fazer pessoas famosas que os haviam ignorado vestir as tais sandálias, como uma forma de humildade e até mesmo de reconhecimento. Certos episódios foram dramáticos, como a caça ao apresentador Jô Soares. Se não sabem do caso, procurem nos YouTube’s por aí. Só contextualizei o título para dizer que o nosso treinador Pochettino precisa urgentemente vestir as tais sandálias.

Foto: Reprodução / Google Images

Estou longe de ser um entusiasta ao trabalho do argentino. O técnico realizou uma temporada de muitos altos e baixos no elenco do Tottenham, o que qualquer um de nós poderia fazer. Sua grande sacada foi subir ao time de cima o jovem Mason, que teve bons momentos na temporada. Vamos lembrar que a titularidade de Harry Kane não é mérito algum do treinador atual, que foi obrigado a escalar o Furacão devido as péssimas aparições de Soldado e Adebayor. Kane é cria de Sherwood, é o grande legado que o “Tim vida loka” deixou por aqui. Não vamos tirar isso dele.

Pochettino precisa ser humilde ao entender que seu esquema tático não é eficiente. Precisa lembrar que fez alterações desnecessárias no elenco, dando oportunidades em demasia para alguns e fazendo o contrário com outros. Holtby fez uma boa pré-temporada, deu assistências e marcou gols. O ‘prêmio’ por isso foi ser emprestado para o Hamburgo, tratado como dispensável. O péssimo Kaboul foi eleito pelo comandante como o capitão do time, algo totalmente inaceitável visto que tecnicamente, o beque não tem nada a contribuir.

Foto: Reprodução / Google Images

O maior expoente, no entanto, é Aaron Lennon. Ídolo dos Spurs, dez anos de clube e tratado como um verdadeiro ninguém. Em meia temporada, jogou os 90 minutos apenas quatro vezes e em jogos de pouca relevância. Não vou dizer que Lennon estava em seu melhor, mas um atleta de 27 anos não pode ser tratado como acabado como muita gente fez. Vem se provando no Everton, onde já atuou 10 vezes desde seu empréstimo. A partir do momento que recebeu sequência de jogo, sendo titular nos últimos cinco embates dos Toffees, rendeu muito bem. Anotou 2 gols e voltou a ser o ponta infernal dos áureos tempos em White Hart Lane.

Não digo que o trabalho de Pochettino é de todo mal. Mas precisa rever seus conceitos táticos e avaliar melhor o material humano disponível, que não é grandes coisas, mas tem algumas qualidades. Também vou ressaltar seus acertos, tendo perdido a paciência com “jogadores” como Kaboul, Capoue, Naughton, Fazio, Soldado, Adebayor e Stambouli – esse último contratado a seu pedido. O argentino vai ficar, que refresque ideias e se ilumine para montar juntamente com Paul Mitchell (desconsideremos o pária Franco Baldini), um bom esquadrão para a próxima temporada. A atual, considero perdida. Mas ainda restam cinco partidas e honrar a camisa com muita luta é indispensável.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • wagner

    Espero que ele repense o Lennon. Daria muito certo ele e o Kane.

  • fernando c.

    Volta lennon e defoe! 10 anos d casa eh so quem ama o clube. Lennon boy tinha q ficar.