TB Perfis – Darren Anderton

Tecnicamente, um jogador que sempre chamou atenção, especialmente em meio aos elencos de reduzida qualidade que o Tottenham teve durante a década de 90. Com sua cara de galã charlatão, e sua incrível fidelidade ao clube, Darren Anderton foi por muito tempo referência no meio-campo dos Spurs e esteve por bons anos no English Team, disputando como titular a Copa do Mundo de 1998 e a Eurocopa 1996. E neste momento, o “Beckham dos pobres” recebe a honraria de ser o oitavo homenageado na série Tottenham Brasil – Perfis.

O início

Darren Robert Anderton nasceu na cidade de Southampton, no dia 3 de março de 1972. Desde menino se destacava pela qualidade técnica e pelo talento muito acima da média, mas ainda nos times juvenis tinha dificuldade em suportar jogos mais intensos devido a uma frágil condição física. Fez boa parte da sua categoria de base no Itchen Saints, onde foi descoberto e levado ao Portsmouth. Os problemas de lesão lhe renderam o apelido de “Sicknote” cunhado pelo amigo e goleiro do Portsmouth Andy Gosney, Aos 18 anos foi contratado efetivamente e realizou sua estreia pelo Portsmouth no dia 09/10/1990, entrando durante a vitória por 3×1 sobre o Cardiff City, pela Copa da Liga.

Brilhando no Pompey

 A sua primeira temporada foi de raras aparições no time principal. No entanto, a partir de 1991/92, Anderton ganhou a confiança do treinador e a condição de titular. Era tudo que ele precisava para abandonar os problemas físicos e desenvolver seu potencial. Sob comando do treinador Jim Smith, Anderton marcou seu primeiro gol pelo clube no jogo de estreia da Championship, divisão ocupada por seu time. Atuando como um armador ou como um winger aberto pelo lado direito, Darren disputaria 42 jogos na temporada, anotando 7 gols. Levando o modesto Pompey até as semifinais da FA Cup contra o Liverpool, tendo marcado um gol na prorrogação no primeiro jogo, Anderton viu seu time sucumbir ao gigante nas cobranças de pênalti. Não veio a vaga na final, mas o garoto de 20 anos realmente chamou a atenção e muitos clubes maiores mandaram seus olheiros: estava aberta a temporada de caça ao talento inglês.

A chegada aos Spurs

Muita gente cresceu o olho, mas o Tottenham que conseguiu sacramentar a transação, desembolsando a bagatela de £ 1,75 mi. Se em 62 jogos, Anderton marcou 7 gols pelo Portsmouth, seu impacto no Tottenham foi imediato e já na temporada 1992/93 igualou o número de tentos assinalados. Estreou e jogou os 90 minutos em um empate fora de casa contra o Southampton por 0x0. Demorou cerca de sete meses para balançar as redes, marcando contra o mesmo Southampton, em uma vitória do Tottenham por 4×2 no dia 06/02/1993, em White Hart Lane. Foi se firmando durante a temporada e compôs com muito sucesso o lado direito de um trio de ataque que também contava com Nick Barmby, pelo lado esquerdo, e Teddy Sheringham, centralizado.

O auge, a queda

 Na temporada seguinte, sua titularidade seguiu inabalada mas a campanha do Tottenham não foi boa, com o time lutando contra o rebaixamento durante boa parte da campanha. Fez sua estreia pela Seleção Inglesa em 1994, convocado por Terry Venables para um amistoso contra a Dinamarca. A partir de então, sempre que esteve disponível, fez parte dos planos da seleção, sempre se apresentando a bom nível. Em 1995, foi fortemente ligado a uma transferência para o Manchester United, algo que não se concretizou. Após encerrar sua carreira, Anderton confessou que ele não quis ir para os Red Devils na ocasião, porque se sentia feliz no Tottenham, onde gostaria de permanecer.

1995-96 foi uma temporada triste para Anderton, que entrou em campo apenas 9 vezes, anotando 2 gols. Mesmo assim foi convocado para a disputa da Eurocopa 96, jogada em território inglês. Titular em todas as partidas da campanha em que a Inglaterra perdeu para a Alemanha na semifinal, teve a chance de mudar o curso da história, mas finalizou uma boa jogada na trave já na prorrogação. Na época, as competições FIFA eram disputadas no sistema do gol de ouro, onde um gol no tempo extra encerraria o confronto. A sorte não sorriu a Anderton e os germânicos bateram os donos da casa.

A taça solitária

Anderton também esteve como titular na Copa de 1998, onde a Inglaterra foi eliminada nos pênaltis pela Argentina nas quartas de final, tendo inclusive marcado um gol na partida contra a Colômbia. Após duas temporadas entrando poucas vezes em campo, as coisas melhoraram em 1998-99, quando realizou 46 partidas e marcou 5 gols. Nessa época, Darren conquistou seu único título por um clube na carreira como jogador profissional, sendo titular em todas as 7 partidas da Copa da Liga, que acabaria com título dos Spurs na final sobre o Leicester. Voltando aos melhores momentos, sofreu um novo baque em 2000, quando participou das eliminatórias para a Eurocopa mas sofreu uma lesão no tendão de aquiles as vésperas da convocação, ficando de fora do torneio.

A melancólica saída

 Em 2001-2002 reeditou seus melhores momentos em um bom esquadrão do Tottenham, treinado por Glenn Hoddle e que contava com nomes como Gus Poyet, Teddy Sheringham, Les Ferdinand e Christian Ziege. Voltou a seleção e parecia nome certo para a Copa de 2002, mas lesões o tiraram de amistosos preparatórios e consequentemente do Mundial. Seriam seus últimos momentos de grande brilho na carreira. Adorado pela torcida do Tottenham, Anderton não era alvo de perseguição por suas lesões e sempre que conseguia estar em campo, rendia o esperado. Rejeitou durante esse período transferências para Liverpool, Newcastle, Portsmouth e Leeds United.

No entanto, ao fim da temporada 2003-04, acabou saindo do Tottenham de uma maneira no mínimo questionável. Tendo realizado 24 partidas e anotado 3 gols na época (inclusive contra o Arsenal). estava tudo certo para sua renovação de vínculo. Mas o novo treinador da equipe, Jacques Santini, não desejava contar com os serviços de Anderton e o ícone do clube acabou dispensado. No total, disputou 364 jogos pelo Tottenham e fez 51 gols. A nota triste é que o grande treinador francês Santini durou espetaculares 13 jogos no comando dos Spurs e foi demitido. Pra AVB/Sherwood nenhum botar defeito.

Birmingham e Wolverhampton

 Como um jogador livre, Anderton resolveu se juntar ao Birmingham para a disputa da Premier League. Com um contrato válido por apenas uma temporada devido a desconfiança em torno de sua idade e a seus históricos problemas com lesões. 24 atuações, 3 gols marcados na temporada e o meia sucumbiu juntamente com todo o time de Birmingham para a segunda divisão. Seu contrato se encerrou e Anderton foi parar no Wolves, a convite do amigo e então treinador Glenn Hoddle. Disputando a segunda divisão, as coisas não correram como o planejado e ser substituído se tornou uma constante em sua vida. Ao fim da temporada, com 26 jogos e 2 gols, seu contrato se encerrou e não foi renovado. O fim de carreira parecia próximo.

Bournemouth: o recomeço

 Mas Anderton não desiste nunca, embora não seja brasileiro. Foi parar no Bournemouth, da League One. O que poderia ser uma prova de decadência acabou significando uma mostra de força e dedicação à profissão. Com um contrato por produtividade, se tornou peça importante em um clube de elenco limitado e candidato ao descenso. Ao maior estilo vovô garoto, marcou em 2007 o primeiro e único hat-trick da carreira, em uma goleada sobre o Leyton Orient. No mesmo ano foi elogiado pelo então treinador do Portsmouth Harry Redknapp, que afirmou que pela técnica de Anderton, ainda poderia estar jogando na Premier League.

No entanto, a temporada 2007-08 foi ruim e o Bournemouth acabou rebaixado. Não em campo, pois a equipe terminaria na 15ª posição, mas a equipe entrou em processo de falência durante a temporada e acabou perdendo 10 pontos, causando a queda. A última época de Anderton como jogador foi na League Two, correspondente à quarta divisão inglesa. Seu último jogo como profissional foi apoteótico. Entrando no segundo tempo em um confronto contra o Chester, no dia 06/12/2008, Anderton marcou o gol da vitória por 1×0 acertando um voleio aos 43 do 2º tempo. No dia seguinte, anunciou definitivamente sua retirada do futebol.

English Team

Foram duas grandes competições disputadas pela seleção e a impossibilidade de outras duas disputas por lesão. No total, Anderton jogou 30 vezes pelo English Team e marcou 7 gols. Entrou em campo pela última vez no dia 09/11/2001, em um amistoso contra a Suécia. Conquistou uma competição amistosa pelo seu país, o Torneio da França em 1997, um quadrangular disputado por Brasil, França, Itália e Inglaterra. Com duas vitórias sobre as outras concorrentes europeias, a Inglaterra faturou a taça por ter melhor saldo de gols que a equipe verde e amarela.

Poucos da nossa geração de torcedores tiveram o prazer de ver Anderton em ação pelo Tottenham. Os vídeos podem ajudar nesse resgate, mas é muito pouco para entender de fato o contexto em que tais craques se inseriram. Fato é, vocês vêem algum jogador do atual plantel dos Spurs que rejeitaria uma negociação com um Manchester United, por exemplo? Até por isso, sua qualidade e fidelidade devem ser reverenciadas. Agradecimentos a Darren Anderton pelos serviços prestados e todas as honrarias a quem honrou a sagrada camisa lilywhite em tempos mais nebulosos que os atuais.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)