TB Perfis – Edgar Davids

Edgar Davids foi um jogador que marcou história. Não exatamente por ter jogado no Tottenham, mas por todos que tem na casa dos 20 anos de idade saberem muito bem quem foi o volante holandês, das inconfundíveis tranças e dos óculos alaranjados. Davids brilhou principalmente com as camisas de Ajax e Juventus, mas teve uma passagem pelos Spurs que fatalmente atraiu alguns olhares extra para o clube do norte de Londres. Algumas pessoas, incluindo esse que vos fala, até iniciaram seu processo como torcedores durante a passagem de Davids. E ele será o nosso biografado de hoje, no quarto episódio da série  Tottenham Brasil – Perfis.

Football - Stock - 06/07 - 23/9/06 Edgar Davids - Tottenham Hotspur Mandatory Credit: Action Images / Michael Regan NO ONLINE/INTERNET USE WITHOUT A LICENCE FROM THE FOOTBALL DATA CO LTD. FOR LICENCE ENQUIRIES PLEASE TELEPHONE +44 207 298 1656.

O início: Ajax

Nascido no Suriname em 13 de março de 1973, Davids mudou-se com seus pais para a Holanda quando ainda era um bebê e realizou toda sua formação no futebol do país que adquiriu a dupla cidadania. Sua carreira no Ajax começou aos 12 anos, nas categorias de base, estreando pelo profissional no dia 8 de setembro de 1991, como titular, na goleada por 5×1 sobre o RKC Waalwijk. Seu primeiro gol foi contra o Willem II, em sua quarta aparição no time de cima. Ficou 5 temporadas no clube de Amsterdã, conquistando no período uma Copa da Uefa (1991/92), três vezes o Campeonato Holandês (1993/94, 1994/95 e 1995/96), uma Copa da Holanda (1992/93), três Supercopas nacionais (1993/94, 1994/95 e 1995/96), além das Liga dos Campeões (1994/95), Supercopa da Europa (1994/95) e Mundial de Clubes (1995), vencendo o brasileiro Grêmio, nos pênaltis.

 A frustração no Milan

Nesse momento, Davids já era um craque consolidado, titular absoluto do Ajax e já figura presente na nova Seleção Holandesa, fazendo parte do grupo que disputou a Euro 96. Após 148 jogos e 32 gols marcados, Davids buscou um novo desafio, indo para a liga mais forte do mundo na época, a italiana. Sua chegada no Milan foi algo conturbada e seu rendimento esteve longe do ideal. Passando por uma primeira temporada de adaptação, já no início da segunda o time aurinegro resolveu negociá-lo, e logo com uma grande rival, a Juventus. O saldo total foi de 24 jogos e 1 gol pelos milaneses, marcado contra o Porto, na Liga dos Campeões 1996/97.

 Afirmação na Juventus

Após a instabilidade e até mesmo o período no banco no Milan, um montante de £ 5.300.000 convenceu o Milan a liberar o jovem volante holandês para a rival Juventus. Em seu segundo jogo pela Vecchia Signora marcou na goleada por 5×2 sobre o Empoli. Seu estilo de jogo de marcação forte e muita determinação fez com que Davids se tornasse um verdadeiro ídolo no ótimo time da Juventus treinado por Marcelo Lippi. Nessa época, mais precisamente em 1999, o jogador passou a usar óculos de proteção, após a cirurgia em seu olho direito causada por glaucoma, que se desenvolveu em 1995 na sequência ferimentos nos olhos. Sua primeira aparição com os óculos foi em 4 de Setembro de 1999, em um amistoso contra a Bélgica.

Somando isso aos dreadlocks, o jogador se tornou extremamente popular em todo o mundo, especialmente após a excelente Copa do Mundo de 98 e a Euro 2000, onde inclusive fez parte do time ideal do torneio. Mas nem tudo foram flores durante essa época e em 17 de maio de 2001, o volante foi suspenso pela FIFA após atestar positivo para um esteróide anabolizante proibido, a nandrolona.

Sua passagem pela Juventus não foi mais espetacular devido as duas derrotas na final da Liga dos Campeões, em 1997/98 na decisão contra o Real Madrid, perdida por 1×0, e em 2002/03, quando sua Juventus perdeu o Milan nas penalidades. Entretanto, angariou três conquistas do Campeonato Italiano (1997-98, 2001-02 e 2002-03), além de duas Supercopas do país (2002, 2003) e um título do extinto Torneio Intertoto em 1999. Durante a temporada 2003-04, amargando problemas de lesão e sem contar com a titularidade absoluta, Davids rumou ao Barcelona por empréstimo, após seis anos e meio, 238 partidas e 11 gols pela Juve.

Barça e Inter: sem deixar saudades

Se em Turim, Davids começava a perder espaço, a alternativa de ir para Barcelona era o momento ideal para voltar aos grandes momentos. Em um time marcado pelo excesso de holandeses, ele encontraria companheiros antigos como Reiziger, Cocu, Kluivert e Overmars. Sua passagem pela Catalunha esteve longe de ser ruim, foram 20 partidas disputadas com 13 triunfos, 4 empates e 3 derrotas, tendo marcado um gol. No entanto, o momento de reformulação buscado pelo clube espanhol fez com que sua passagem se resumisse a apenas seis meses.

 Como um jogador livre, Davids foi então para a terceira grande força do futebol italiano. Após passar por Milan e Juventus, defendeu a Internazionale na época 2004/05, alternando entre titularidade e suplência no time de Roberto Mancini. Até que em fevereiro sofreu uma lesão e não voltou mais ao time, pela condição física ou pela preferência do comandante. Disputou apenas 23 jogos pelos Nerazzurri, sem marcar gols, mas fez parte do grupo que conquistou a Coppa Itália na temporada.

Desbravando o norte de Londres

 Em baixa no mercado, Davids então finalmente entrou na história dos Spurs. Seduzido pela proposta de um time ambicioso, com futebol ofensivo, do compatriota Martin Jol, Davids chegou ao Tottenham para trazer a dose de experiência que parecia faltar ao time que parecia voltar aos melhores momentos. Em meio a uma base de jogadores jovens, merecendo destaque as figuras de Defoe, Lennon, Carrick, Dawson, Huddlestone, King e Jenas, o volante foi tratado como um dos pilares da equipe pelo treinador, atribuindo-lhe as funções de meio campista central e por vezes ocupando a faixa esquerda do gramado.

A condição física de Davids não era a mesma do início, mas ele mostrou a costumeira vontade e se tornou um nome decisivo na equipe que brigaria até o fim da temporada por vaga na Liga dos Campeões. Estreou pelo time em White Hart Lane, na vitória sobre o Middlesbrough pela 2ª rodada da Premier League. Marcou pela primeira vez na vitória por 2×1 sobre o Wigan, no DW Stadium, em novembro de 2005. Foi titular durante a primeira fase da temporada, mas na segunda metade sofreu com problemas físicos e frequentou as reservas por várias vezes. Realizou 31 partidas na época, estando em campo na controversa derrota contra o West Ham na última rodada, que nos deixou fora da Champions League, após a maior parte do elenco sofrer intoxicação alimentar às vésperas da decisão.

 Iniciou 2005/06 como titular, mas o time estava claudicante e demorava a engrenar. Foi perdendo espaço na equipe com a afirmação do jovem Huddlestone e a concorrência de jogadores como Tainio e Danny Murphy. Jenas se tornara titular absoluto na faixa central e no meio-campo a chegada de Steed Malbranque reduziu seus minutos de partida. Decidiu deixar o clube no meio da temporada após receber o convite para retornar ao Ajax, seu clube de coração. Despediu-se do Tottenham com 44 partidas disputadas e 1 gol marcado, sendo 20 vitórias, 12 empates e 12 derrotas.

Ah, sem esquecer: colecionou 12 cartões amarelos e um vermelho em sua estadia no clube. Contra quem a expulsão? Num dos mais disputados North London Derby’s da última década, que acabou com o empate em 1×1 no Highbury. Davids criou a jogada e deu a assistência para o gol de Robbie Keane na ocasião, antes de distribuir carícias no então adversário Dennis Bergkamp ao fim da partida.

Retorno ao Ajax e aposentadoria

 Reestreou pelo Ajax em fevereiro de 2007 e voltou aos melhores momentos. Atuou nos 17 jogos da temporada e o Ajax saiu derrotado apenas uma vez. Já de cara ajudou a equipe na conquista da Copa da Holanda sobre o AZ Alkmaar. No ano seguinte, perdeu a primeira metade e só voltou aos gramados em janeiro de 2008. Conseguiu atuar com regularidade pensando em se retirar de vez do futebol ao fim da temporada e anunciou a aposentadoria no empate contra o Twente por 0x0, no dia 18/05/2008. Aos 75 minutos, Davids foi substituído por Urzaiz na tentativa do time reverter a derrota por 2×1 na fase final da Eredivisie. Recebeu a ovação dos torcedores na Amsterdã Arena, mas sua equipe acabou derrotada. Angariou também uma Supercopa Holandesa em 2007/08.

Retornos e jogador-treinador

Davids anunciou sua volta aos gramados em 2010/11, pelo Crystal Palace, equipe que disputava a Championship. A experiência durou apenas 7 jogos, de agosto a outubro de 2010. Entrou em novo recesso na carreira, que parecia ter se encerrado.

Porém, em 2012/13, reapareceu acumulando as funções de jogador e treinador no Barnet, clube da League Two, correspondente à quarta divisão inglesa. Se escalou em 29 jogos na temporada, marcando um gol, mas os resultados não foram os mais expressivos. Em 2013/14, continuou sua saga mas resumindo muito sua participação como jogador. No dia 23 de novembro de 2013 realizou seu último jogo como profissional, na derrota por 2×1 para o Grimsby Town.

Atualmente, Davids pode ser considerado como um treinador desempregado. No entanto a figura jamais será esquecida, seja por seu visual diferente, sua história de vencer dificuldades na carreira, sua impressionante qualidade técnica e até suas aparições de destaques em comerciais da Nike. Davids e o Tottenham serviram-se um ao outro em momentos de transição e foram extremamente importantes em dado período. Nossa eterna gratidão ao holandês pela dedicação demonstrada em seu período no clube e por aquelas porradas no Bergkamp, distribuídas 10 anos atrás.

Fotos: Reprodução/google images

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • Marcio

    Excelente! Muito bem redigido o perfil.
    Eu também comecei a torcer pelos Spurs quando Davids, eterno ídolo dos meus times do Winning Eleven, foi para o clube londrino.
    Para quem não teve o prazer de vê-lo jogar, diria que seu estilo de jogo assemelha-se muito ao do Arouca, ex-Santos e atual Palmeiras, com a vantagem de ser mais rápido e a desvantagem de ser bem mais violento.

  • fernando c.

    Nao o vi jogar. Quando comecei a torcer a dupla ja era jenas e hudd. M assustei ao ler q a concorrencia era tainio e murphy hahahahahahaa. Que fase! Cada jogador q ja passou por whl.
    Bela coluna. TB PERFIS é mto fera. Parabens aos autores ou ao autor.