TB Perfis – Dave Mackay

A ideia de perfilá-lo já era uma realidade, mas a urgência veio de uma triste notícia recebida nessa segunda-feira, 02/03/2015. Dave Mackay faleceu aos 80 anos. E daí resolvemos contar a história desse meio-campista que representou os Spurs por mais de 300 vezes em sua carreira e é considerado por gente como Brian Clough, “o maior jogador da história do Tottenham Hotspur”. Infelizmente não o vimos jogar, mas seus feitos são eternos.

DAVE MACKAY AND BILLY BREMNER Tottenham Hotspur Leeds United MSI

Redundantemente, o coração do Hearts

David Craig Mackay nasceu na cidade escocesa de Edimburgo, em 14 de Novembro 1934. Iniciou sua carreira como jogador de futebol no clube que era torcedor, o Hearts of Midlothian, em 1953. Ficou no clube até 1959, onde conquistou os três títulos possíveis em seu país natal: a liga nacional (atualmente chamada de Scottish Premiership) em 1957-58, a Copa da Escócia na temporada 1955-56 e a Copa da Liga Escocesa em duas oportunidades, 1954-55 e 1958-59.

Mackay realizou 135 partidas e marcou 25 gols por seu time de coração, o qual foi capitão em suas duas últimas duas temporadas. Após esse último triunfo, rumou ao Tottenham Hotspur, sendo contratado por 32 mil libras, valor irrisório nos dias de hoje mas expressivo para os padrões da época. Em seu período de Hearts, fez ainda parte da Seleção Escocesa que disputou e foi eliminada na primeira fase da Copa do Mundo de 1958.

Fazendo história

Em março de 1959 chegou ao Tottenham, onde faria parte de uma geração incrivelmente vitoriosa da história do clube. Demonstrando muita qualidade nos passes e uma determinação difícil de ser igualada, Mackay era uma pedra que poucos clubes conseguiam ultrapassar no setor de marcação da equipe. Um bom exemplo disso é a declaração de George Best, lenda do Manchester United e um dos maiores jogadores da história do futebol inglês, que apontou Dave como “o jogador mais duro que alguma vez defrontei – e certamente o mais batalhador”.

Seu estilo de jogo de doação e boa qualidade técnica é requerido no futebol de forma atemporal, haja vista a atual necessidade do nosso elenco em um volante com tais atribuições. Formou uma dupla memorável com Danny Blanchflower, nomes que são lembrados sempre por se completarem no meio campo dos Spurs, especialmente no double conquistado em 1960-61, quando lideraram o time londrino aos títulos do Campeonato Inglês e da Copa da Inglaterra. Questionado sobre aquela equipe memorável, comandada por ninguém menos que Bill Nicholson, Mackay afirmou: “Com uma equipa tão boa, fiquei surpreendido por apenas termos ganho o campeonato uma vez”.

Dave seguiu no Tottenham até 1968 e no período conquistou mais duas FA Cup’s pelo clube, em 1961-62 e 1966-67. Além disso, angariou o título da Recopa da UEFA em 1962-63, torneio extinto em 1999, quando bateu o então campeão Atlético de Madrid por 5×1. Mackay não atuou nesse dia por estar lesionado. Em toda sua passagem, 318 atuações e 51 gols marcaram para sempre seu nome na história lilywhite.

Seguindo os passos de Clough

Em 1968 foi convencido pelo icônico Brian Clough e seu fiel escudeiro Peter Taylor a se juntar ao Derby County, clube ocupante da segunda divisão. Com o lendário treinador e uma leva de bons jovens a que Mackay liderava, o Derby alcançou a promoção para a divisão de elite como campeão já na temporada 1968-69, sua primeira pelo clube. Em 1970, conquistaria o título da Watney Cup, competição já extinta, vencendo o Manchester United na final por 4×1.

Deixou o Derby em 1971 após 122 jogos disputados e 5 gols anotados, além do título de ‘Futebolista do ano’ em 1968-99, título compartilhado com Tony Book do Manchester City. Seu desafio seguinte seria no Swindon Town, clube que defendeu como jogador e treinador por apenas uma temporada e onde se aposentou como jogador profissional após 26 partidas e 1 gol.

Em sua carreira profissional, 623 partidas, 86 gols e 11 títulos conquistados, incluindo clubes e Seleção.

O treinador Dave Mackay

Paralelamente à função de jogador, Mackay também era o manager do Swindon Town em 1971-72. Encerrada a temporada, assumiu o comando do Nottingham Forest, clube onde seu amigo Brian Clough faria história pouco depois, ficando apenas um ano e partindo para o Derby County em 1973, para suceder justamente Clough. Comandou o Derby até 1976, conquistando seus dois únicos títulos no comando técnico: O Campeonato Inglês em 1974-75 e a Charity Shield, também em 1975.

Em 1977-78 comandou o Walsall sem obter grande sucesso. Daí resolveu desbravar o futebol do Kuwait, onde treinou o Al-Arabi em 1978. Entre idas e vindas, Dave Mackay comandou ainda o Al Shabab em 1983, retornou ao Al Arabi em 1987 e retornou ao futebol inglês apenas nesse ano, quando trabalhou no Doncaster Rovers. Após duas temporadas, rumou ao Birmingham City, onde ficou até 1993. Seu último trabalho como treinador foi entre 1994 e 1995, como técnico da Seleção do Qatar.

Eternidade

Dave Mackay faleceu em 2015, mas sua história jamais será esquecida. Ele é membro do Hall da Fama do Futebol Inglês, do Futebol Escocês, recebendo a mesma honraria em seus dois principais clubes na carreira, o Hearts of Midlothian e o Tottenham Hotspur. O Tottenham, inclusive, escreveu em um obituário: “Dave Mackay, certamente, sempre será lembrado aqui como um dos nossos maiores jogadores de todos os tempos e um homem que nunca deixou de inspirar aqueles ao redor dele. Em suma, uma lenda dos Spurs”.

Sem delongas, sem mais o que dizer. Obrigado e descanse em paz, Dave Mackay.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • fernando c.

    Eh d arrepiar pensar q tinhamos dave mackay e bachflower no meio e bob smith e cliff jones no atake.
    Obrigado mackay. Fez parte d um time historico. Um time q tem historia valoriza seus idolos.