TB Perfis: Jonathan Woodgate

O zagueiro, autor do gol que rendeu ao Tottenham seu último título, a Copa da Liga de 2007/08, abrirá a série de Perfis sobre figuras marcantes da história dos Spurs. Longe de ser o maior ídolo da história do clube. Woody, porém, foi quem motivou a criação dessas reportagens, quando no grupo oficial do Tottenham Brasil no Facebook, um usuário mais novo questionou sobre quem seria esse tal Woodgate. Por isso, o zagueiro inglês debutará nesse espaço.

gun__1233852283_woodgate_jonathan

O início no Leeds

Nascido em Nunthorpe, subúrbio de Middlesbrough, em 22 de janeiro de 1980, o zagueiro iniciou em 1993 sua carreira nas categorias de base do Boro, o grande clube de sua cidade. Em 1998, se juntou ao Leeds United, onde se profissionalizou. Já em sua temporada de estreia, realizou 33 jogos na temporada marcando 2 gols. Sua primeira partida profissional foi no empate por 1 a 1 contra o Nottingham Forest, dia 16/10/1998.

Pelos Whites, fez dupla de zaga com nomes memoráveis como Lucas Radebe e Rio Ferdinand, participando da era de maior sucesso da equipe, estando no banco durante a semifinal da Champions League em 2000/2001, quando seu time foi superado pelo Valencia. Woody vivenciou os problemas financeiros e o início da derrocada do Leeds, que foi se desfazendo de seus principais nomes para cobrir os rombos pela administração megalomaníaca e irresponsável de Peter Ridsdale. Deixou o clube no meio da temporada 2002/03, quando foi negociado com o Newcastle United por 9 milhões de libras, cifras bem significativas para um defensor na época. No total, entrou em campo 142 vezes e marcou 5 gols.

O sonho Galático

Sua passagem pelo Newcastle foi igualmente positiva, apesar de curta. Em uma temporada e meia, o defensor jogou 37 vezes e não marcou gols. Mas suas atuações chamaram a atenção dos galácticos do Real Madrid, que buscavam incessantemente um zagueiro para resolver o crônico problema defensivo, o grande calcanhar de Aquiles de um elenco absurdamente talentoso na parte ofensiva. Por 14 milhões de libras, o atleta desembarcou em Madrid. Entretanto, começava aí o inferno astral do jogador com um inimigo que já lhe acompanhava desde o início da carreira: as recorrentes lesões.

Woodgate foi contratado no meio de 2004, mas só estreou pelo Real Madrid no dia 22/09/2005, mais de um ano depois. No jogo, inclusive, Woody anotou um gol contra. Em seu terceiro jogo pelo clube, marcou um gol na vitória por 4×1 sobre o Rosenborg, na Liga dos Campeões e parecia se firmar na equipe. Mas em fevereiro, sofreu uma nova lesão que lhe tomou o resto da época. Seu saldo em dois anos de Real Madrid foi de 15 jogos disputados com um gol feito. No início da temporada seguinte, a paciência dos madrilenhos não se manteve e Woody foi emprestado ao Middlesbrough.

Talvez os ares de casa tenham feito bem, pois o zagueiro conseguiu voltar a jogar com regularidade e fez uma temporada muito boa, convencendo Gareth Southgate a adquirir o atleta em definitivo por 7 milhões de libras. Com um ano e meio no Boro, Woodgate deixava o clube vermelho, onde atuou 52 vezes, e entraria na história do Tottenham para sempre.

Campeão e decisivo no Tottenham

Contratado por Juande Ramos por 8 milhões de libras, assumiu a titularidade da equipe e estreou num empate frente ao Everton, no Goodison Park, no dia 30 de janeiro de 2008. Envergou durante todo seu período no norte de Londres, a camisa de número 39. Seu quinto jogo com pelo Tottenham foi o mais marcante de sua carreira. Final da Copa da Liga Inglesa, 24 de fevereiro. Após Didier Drogba marcar para o Chelsea e Dimitar Berbatov empatar o jogo no tempo normal, coube a Woody fazer o gol do título para os Spurs, na prorrogação. Cobrança de falta de Jenas na área, Cech sai mal e soca a bola no rosto do zagueiro, que ainda toma um belíssimo tombo dentro do gol quando tenta conferir que aquela bola realmente estava entrando. Sim, ela entrou, por mais inacreditável que parecesse ser. Esse gol meio sem querer rendeu o último título do Tottenham e o único troféu erguido pelo defensor em sua carreira.

Atuou 17 vezes na temporada e marcou outro gol, novamente contra o Chelsea, num eletrizante 4 a 4 pela Premier League. Fez mais 44 jogos na temporada seguinte, se afirmando como um dos pilares da equipe, especialmente na ausência do capitão Ledley King, que também sofria muito com os problemas físicos. Mas na temporada 2009/10, as lesões voltaram a lhe assombrar e Woodgate atuou em apenas 3 partidas, pouco colaborando na excepcional campanha que classificou os Spurs para a Liga dos Campeões do ano seguinte.

Se o desempenho não era bom, na temporada seguinte foi ainda pior. Sem conseguir se recuperar das lesões, o jogador atuou por 31 minutos na temporada, todos eles num dos mais emblemáticos jogos do Tottenham em sua história: a vitória por 1 a 0 sobre o Milan, no San Siro. Woody entrou no segundo tempo da partida e ajudou os Spurs a garantir o triunfo. E não voltou mais aos gramados, culpa da sua praticamente eterna lesão na virilha. Com o contrato expirando ao fim da temporada, clube e jogador não chegaram em um acordo para a renovação e ele seguiu para o Stoke City. Com 65 jogos, 3 gols e 1 título, Jonathan Woodgate encerrou sua carreira no clube.

Stoke e a volta para o Boro

Conseguiu voltar a jogar no Stoke, participando de 21 partidas na temporada 2011/12. Saiu gratuitamente ao fim da temporada para um retorno ao Middlesbrough, clube onde mostrou interesse em encerrar sua carreira. No Boro desde 2012/13, conseguiu manter um número razoável de exibições nas duas últimas épocas, participando de 25 jogos em cada temporada. Na atual, entrou em campo apenas duas vezes. Seu último jogo foi no último dia 10 de fevereiro, onde atuou os 90 minutos e marcou o gol da vitória de sua equipe sobre o Blackpool, fora de casa.

Com uma trajetória vitoriosa nos Spurs, apesar de sua infelicidade com os problemas físicos, Woody representou por oito vezes a seleção inglesa, entre 1999 e 2008. Nunca disputou nenhuma Eurocopa ou Mundial, tendo participado de três partidas de eliminatórias e cinco amistosos. Jamais marcou um gol pelo English Team. E convenhamos, aquela bolada na cara, contra o Chelsea, em 2008, valeu muito mais que uma Copa do Mundo. Se não para Woody, para a torcida que ele representava naquele momento.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • Caio Pereira

    Show a materia, Woodgate fez ao mesmo tempo o gol mais lindo e mais feio que ja vi do Tottenham kk, mas sem duvidas o que mais comemorei