Liverpool 3×2 Tottenham – estava bom demais pra ser verdade

O Liverpool recebeu o Tottenham, pela 25ª rodada da Barclays Premier League, e venceu um jogo bastante movimentado pelo placar de 3 a 2. Enquanto Markovic, Gerrard (P) e Balotelli (!!!) marcaram os gols dos Reds, Kane e Dembélé descontaram para os Spurs. Em um jogo em que a arbitragem parecia de brasileirão, parando demais a partida e distribuindo amarelos à la carte, o Tottenham cometeu diversas falhas defensivas e o que o ataque produziu não foi o suficiente para que saíssemos de Anfield Road com um resultado positivo.

Balotelli, que ainda não havia marcado na BPL, decidiu o jogo a favor dos Reds – Foto: Reprodução.

Brendan Rodgers enviou o seguinte time a campo: Mignolet; Can, Skrtel, Sakho; Ibe, Gerrard (Lovren), Henderson, Moreno; Markovic (Lallana), Coutinho, Sturridge (Balotelli). Já Mauricio Pochettino repetiu a escalação que havia batido o Arsenal no sábado: Lloris; Walker, Dier, Vertonghen, Rose; Mason (Paulinho), Bentaleb; Lamela, Dembélé (Soldado), Eriksen (Chadli), Kane.

O primeiro tempo começou com o Liverpool se aproveitando das diversas falhas do meio campo do Tottenham, que não conseguia trocar 3 passes em sequência. Bentaleb e Mason não conseguiam fazer a ligação ao trio de meias e Harry Kane ficava isolado na frente. O jovem ala direito, Ibe, do Liverpool, com a ajuda de Sturridge, fazia um inferno no lado da defesa de Danny Rose e Jan Vertonghen. O Liverpool abriu o placar aos 15 minutos de jogo, quando Vertonghen não conseguiu cortar a bola em disputa com Sturridge, que tocou para Markovic, avançar e chutar de perna esquerda, Lloris poderia ter feito algo melhor, mas a bola passou. A partir do gol, o Tottenham tentou se reorganizar para buscar o empate e, mesmo com a constante dificuldade dos volantes em passarem abola, conseguiu: Dembélé recebeu na direita, tocou no meio para Lamela, que tabelou com Eriksen e deu um passe para Kane, entrar na área após se livrar de Sakho e deixar tudo igual.

No segundo tempo, continuaram as dificuldades defensivas do Tottenham. E foi por lá que Sturridge aprontou um salseiro, juntamente com Ibe, avançou igual um tanque pra dentro da área e contou com a juvenilidade de Danny Rose, para derrubá-lo: pênalti, cobrado e convertido por Steven Gerrard aos 53 minutos de jogo. Mas o Tottenham não aceitou a derrota naquele momento, queria o empate e buscou o empate. Em rebote de falta cobrada por Christian Eriksen, aos 61′, Kane cruzou para Dembélé empurrar para as redes. Era o empate tão almejado. O problema é que parece que os jogadores se contentaram com o empate. Paulinho entrou no lugar de Mason e Chadli, no lugar de Eriksen: a equipe ficou extremamente lenta, muito previsível, não buscava tanto o ataque, então ficou no marasmo, tentando segurar o 2 a 2.

Mas ninguém contava com o improvável – quero dizer, ninguém exceto todos os torcedores do Tottenham que sabem o quanto o time é capaz de decepcionar-nos. Mario Balotelli estava em campo: não havia feito um gol na Liga Inglesa ainda, então logicamente iria fazer contra o Tottenham, está escrito em qualquer código futebolístico lá do norte de Londres. Lallana também se aproveitou da fragilidade do lado esquerdo defensivo dos Spurs, e cruzou forte pra pequena área: Dier e Vertonghen não marcavam ninguém e nem cortaram a bola. Resultado? Balotelli escorou sozinho para as redes de Lloris: 3 a 2, placar final.

O Tottenham vinha em um momento excelente e o teve quebrado mais por falta de ambição da própria equipe do que, propriamente, por mal futebol jogado: o ataque correspondeu, mas a defesa estava relaxada. Quando era a hora de botar fogo no jogo, o time resolveu se retrair. Um castigo merecido, apesar de duro a nós torcedores. Agora teremos uma sequência difícil: voltamos a campo na próxima quinta-feira, para enfrentar a Fiorentina, em White Hart Lane, pela fase de 16 avos de final da Liga Europa, jogo de ida. Jogaremos contra o West Ham, também em WHL, no domingo seguinte, e na quinta posterior já teremos o jogo de volta do duelo pela Liga Europa, na Itália. E não se pode esquecer, claramente, do jogo que abre o mês de Março: Tottenham x Chelsea pela final da Capital One Cup.

Que o Tottenham cresceu na temporada e está em bom nível é fato, mas passará por uma prova de fogo nesse mês de fevereiro. Estava bom demais pra ser verdade, essa derrota foi decepcionante pela maneira como ocorreu, mas é hora de se levantar e seguir em frente. Com os resultados até agora: o Tottenham volta para 6º, estacionado nos 43 pontos, na BPL e o Liverpool está em 7º, a um ponto dos Spurs.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba (no Triângulo Mineiro). Licenciado em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela UFTM. Tenho 22 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.
  • Rodrigo Ruths

    segunda vez já que o Sr Vertonghen tenta corta a bola e acaba resultando em gol dos caras, apesar do gramado ter contribuido para o primeiro gos dos reds Lloris falhou feio, Rose fez um penalti infantil… e o Dier ? dormio néé ficou apenas olhando enquanto BALOTELLI (ta de sacanagem) empurrou a bola para dentro… Mason e bentaleb horrorosos , Eriksen as vezes ele tem um apagão que é ridiculo, perde cada bola, cada passe errado…. Dembele Monstro.

  • fernando c.

    Lloris tava na bola. O gramado matou ele.
    dembele merecia um gol, ta jogando mto.
    do eriksen nao ha o q reclamar. Ten corrido o tempo inteiro pra atacar e marcar.
    Quando vi balotelli relacionado m arrepiei. Pq tdos inuteis e refugos marcam contra nos?