Tottenham Roller Coaster Football Club

Sábado, 10 de janeiro de 2015. Onze e vinte da noite: hora em que estou escrevendo este texto. Decidi falar sobre esta montanha russa (Roller Coaster, em inglês) que o Tottenham representa no futebol inglês. Minha intenção, já deixo claro, não é escrachar o time, de forma alguma… bom, ao menos não tanto quanto já está sendo feito pela maioria dos que o acompanham… e com razão.

Pois bem, leitor, não é fácil explicar exatamente o que é o Tottenham, mas o termo utilizado já no título pode lhe clarificar um pouco a mente: a montanha russa, contínuos altos e baixos, e quando você acha que vai ficar em um ponto alto, vem aquela queda de gelar a barriga até que a estabilidade venha de novo e o ciclo continue. Meio maluco isso, não? Nem tanto… talvez o torcedor, principalmente o mais recente, é que não entenda realmente o que tem sido o clube nos últimos anos.

Já citamos aqui no Tottenham Brasil, várias vezes, que esse é um time de camisa, falamos sobre suas glórias e, principalmente, sobre seus retumbantes fracassos. Desde que a equipe se classificou para a UEFA Champions League em 2010, esse parece ter virado o único objetivo do clube temporada seguida de temporada, sem nenhum plano B, sem qualquer “missão secundária” a ser cumprida. E os resultados tem sido fracassos memoráveis: derrocadas vertiginosas em reta final da Barclays Premier League, eliminações injustificáveis nas Copas, e uma goleada ou outra, ou várias, nesse meio tempo. O time virou piada na internet, isso não é novidade, já até estabeleceram o ciclo natural do clube…

Na foto, o ciclo natural (e satirizado) do clube: Treinador estrangeiro é apontado > Sucesso inicial > Vende o melhor jogador > Falha para se classificar para a UCL e demite o treinador > Aponta treinador que fala inglês corretamente > Sucesso inicial > Vende seu melhor jogador > Falha para se classificar para a UCL e demite o treinador e assim sucessivamente. – Foto: @FootballFunnys

Por mais que fiquemos irritados com essas piadas: elas tem se tornado cada vez mais factuais. E como reclamar se o time nem ao menos consegue vencer o Crystal Palace, vice lanterna até aqui na temporada, na BPL? É difícil… A equipe vinha de uma sequência excelente na temporada, invencibilidade de seis partidas, tinha estourado de vez no excelente 5 a 3 contra o Chelsea, aí, na mesma semana: empata com o Burnley pela FA Cup, em um vazio Turf Moor, tendo que jogar o replay já nesta quarta feira novamente e perde, de virada, para o Crystal Palace, recuando bisonhamente após tomar o empate e ter que sair pro jogo.

No tweet: “A montanha russa que é ser um torcedor do Tottenham”. – Foto: @SpursInTheBlood

Já fiz um texto aqui, em que quase supliquei para os fracassos pararem… mas precisamos pensar… a posição até aqui no campeonato é realmente um fracasso? Vejo um time enfraquecido em relação a temporadas anteriores, um treinador em início de trabalho em um clube de peso e com grandes ambições na Inglaterra e adversários mais fortes que anteriormente, falo isso pelo trabalho que os pequenos clubes estão dando a qualquer um, mesmo que o Tottenham tenha uma capacidade especial de tropeçar por parecer menosprezar qualquer adversário que enfrenta.

Mauricio Pochettino foi o comandante escolhido por Daniel Levy para comandar esse elenco atual, pelo menos até termos condições de nos reforçar, nesta temporada. É um trabalho bem irregular, mas com alguns bons lampejos e algumas decisões interessantes. Fique tranquilo, também acho que ele foi mal hoje nas substituições, mas quero citar os seguintes pontos: ele mandou alguns nomes com certo peso dentro do elenco para a geladeira por não estarem rendendo: Kaboul, Capoue (mesmo que tenha entrado hoje), Adebayor, Naughton. Já foi algo que treinadores anteriores, mesmo vendo que os jogadores não estavam comprometidos ou que não estavam rendendo tecnicamente, não fizeram. Estabeleceu uma formação para o time jogar: o 4-2-3-1. Por mais que não seja a preferida da maioria, acredito, nos ajudou a conseguir uma boa sequência na temporada, aproveitando-se da grande fase vivida por Kane e da enorme capacidade de Eriksen para decidir jogos.

Mauricio Pochettino é o comandante dos Spurs nesta temporada. – Foto: Reprodução.

Daniel Levy, nosso presidente, apoia o treinador argentino, já demitiu treinadores com números melhores sem pensar duas vezes, com AVB foi assim e com o próprio Harry Redknapp. Os tempos não são de pensar em UEFA Champions League, ao menos não via campeonato inglês. Nosso time não está entre os quatro melhores do campeonato, a vitória contra o Chelsea mostrou o potencial da equipe, mas não aquilo que é o normal dela, estando ainda em formação. Estamos na janela de janeiro e está claro que reforços precisam chegar, apesar de que a esperança para isso não é das maiores. Na minha opinião: precisamos de 3 peças para já ajudar agora: Um zagueiro, um volante e um atacante. Um zagueiro, pois Fazio (e qualquer outra opção do elenco que não seja o Vertonghen, embora Dier não tenha sido testado como zagueiro), é confiável. Um volante, já que nosso meio campo não dá proteção nenhuma à defesa e isso faz com que as necessidades por um defensor sejam até maiores: não há uma cobertura confiável. Um atacante: Harry Kane não conseguirá decidir todos os jogos, mesmo naqueles que marcar gols, ele é ótimo para nós, mas não vai fazer milagre.

O estilo das contratações a serem feitas parece que seguirá outro rumo, foi para isso que Paul Mitchel, ex-diretor de recrutamento (Scout) do Southampton foi contratado: impedir que Franco Baldini faça o que bem entende com o dinheiro que temos, já que o italiano provou entender bem pouco de futebol. Mas lembrem-se: o time é mediano. Tem peças muito boas, mas no geral não aguenta o tranco, não adianta esperar de uma equipe aquilo que ela nunca vai lhe entregar, isso aqui não é videogame, amigo.

Torcemos, sim, pelo Tottenham, independente de resultados: não, não somos idiotas. Somos trouxas talvez, principalmente quando deixamos esta montanha russa nos iludir, mas idiotas não. O futebol não merece isso de quem só apoia nas boas e nas más abandona. Nós cobramos do clube como um todo, queremos o melhor para ele, mas talvez não seja nessa temporada que o melhor venha, apesar de que algo bom possa surgir, afinal, estamos nas semifinais da Capital One Cup, contra um adversário acessível (mesmo em se tratando do Tottenham) e seria apenas um jogo na final contra Liverpool ou Chelsea. Pochettino mostrou que é competente, apesar de se confundir em alguns jogos, a crescente da equipe não aconteceu por acaso e seu sistema de treinamento tem sido elogiado por muitos na Inglaterra, de jogadores à mídia inglesa. Nossa situação – ainda – não é um desastre, mas temos que olhar com calma para que não excedamos as expectativas.

No mais, deixo aqui um saudoso Come on you Spurs a todos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba, no Triângulo Mineiro, graduando em Licenciatura em Letras com Habilitação em Português e Inglês. Tenho 21 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.

Latest posts by Lucas Colenghi (see all)

  • Thiago

    They see me rolling they hatin’.
    Poch pode ter um grande futuro no time se souber estabilizar a roller coaster que o tottenham vive e parar de inventar colocar jogadores sem futuro tipo Rose e Capoue.
    E outra, não acho que vamos trazer grandes novidades não, boatos surgem que traremos o grande Danny Ings do Burnley.
    Precisamos de volantes bons para serem titulares, não temos um meio de campo titular ainda, Mason e Bentaleb até melhoraram bastante, mas não acho bom colocar os dois juntos no momento, talvez mais pra frente com mais experiência.

    Mas tu falou tudo, tem que tá atrás do time torcendo nos bons e nos maus momentos, que isso sim é que torcer, torcer só quando mete 5 no Chelsea é fácil.

  • wagner

    Ontem os jogadores entraram com um salto alto que deu medo. Townsend, Dembelé e Chadli estiveram muito aquem do que podem e devem. Eriksen jogou mal ( oque tem sido recorrente, apesar dele decidir muitos jogos) e Fazio… Stambouli foi uma boa surpresa, até ele dar aquele carrinho surreal, dando ao arbitro a impressaõ de penalidade. Talvez a nossa decepção fosse menor se tivéssemos perdido como de costume para o Chelsea e vencido Burnley e Palace. Daria a entender que o time entende seus limites e obrigações. Mas para variar…
    Só nos resta torcer mesmo…
    Abraços aos torcedores do Spurzão!

  • Caio Pereira

    Everton, Liverpool, Arsenal e United também não fazem grandes temporadas e 3 desses tem elencos muito mais caros que o nosso, isso mostra que a liga esta muito competitiva, ainda mais com o Southampton fazendo essa bela campanha. Acredito que vamos brigar por essa quarta vaga até o fim, agora se vai dar pé ou não, ai é outra historia.

  • Rafaelhsouza

    O time precisa muito mesmo de um volante, um cara que marque e crie jogadas ao mesmo tempo, algo no estilo do que o Pogba faz na Juve (difícil vai ser encontrar um cara desse nível hehehe)…e eu acho que o Lamela ainda pode render mais, levo fé no Argentino, acho que ele precisa de uma boa sequencia como titular pra embalar.

    • Vinícius

      Bom já temos um volante que sabe criar jogadas: o Mason (claro, não é do nível de Pogba, mas tem futuro) precisamos mesmo é de um volante marcador do nível que foi o Sandro. E o Lamela cara está tendo sim uma sequência de jogos, ele é titular na premier league e geralmente reserva nas outras competições, só não jogou nesses últimos 3 jogos contra o Chealsea, Burnley e Crystal Palace porque estava lesionado, provavelmente vai jogar o próximo jogo contra o Sunderland.