Tottenham 5×3 Chelsea

Quem diria.

2015 começou para a Premier League nesta quinta-feira, mas para Tottenham e Chelsea o ano começou um pouco mais tarde nessa noite fria em Londres. E não tinha como começar melhor.

Os Blues, líderes do campeonato inglês com um dos melhores times da Europa, além de contarem com o maior assistente e um dos maiores artilheiros do continente na temporada. E o Tottenham foi à campo para o clássico com um time bastante modificado em relação às últimas partidas. A pulga pulou atrás da orelha ainda antes mesmo dos times subirem para o aquecimento.

Rose ganhou a vaga na lateral esquerda no lugar de Ben Davies. Lamela, por problemas físicos, não ficou nem no banco e deixou Townsend tomar a ponta direita. Chadli, por sua vez, voltou para a meia esquerda, enquanto Mason e Bentaleb voltaram a compor a primeira linha do meio de campo.

Logo antes dos 15 minutos de jogo, Mason sentiu a parte posterior da coxa e já teve que ser substituído por Dembélé. Aquela pulga já dançava atrás da orelha – e não foi pra menos. Três minutos depois, Hazard deixou Rose sem pai e sem mãe na lateral esquerda, partiu pra cima de Vertonghen e bateu forte. A bola explodiu na trave e sobrou para Oscar na entrada da área, que chutou cruzado e carimbou Fazio na linha do gol. Oportunista, Diego Costa apareceu e só empurrou a bola pra dentro. A tragédia já parecia anunciada e a torcida, por sua vez, conformada.

O Tottenham, que já tentava agredir a equipe do Chelsea desde o início da partida, começou a encaixar melhor as jogadas. E deu certo. Aos 30′, Kane – sempre ele – veio com a bola dominada da esquerda, driblou dois e bateu forte de fora da área. A bola foi rasteira, direto para o canto esquerdo da meta de Courtois. De repente, a atmosfera mudava e parecia mudar os rumos da partida.

Depois de mais quinze minutos de bola rolando, com o Chelsea perdido em campo após o golpe que não esperava tomar, o Tottenham conseguiu encaixar um ótimo contra ataque com Eriksen. O dinamarquês deu lançamento maravilhoso por entre os zagueiros para Chadli sair na cara do goleiro. Ele tentou e conseguiu deslocar Courtois e jogou a bola cruzada no canto esquerdo do gol, mas beijou a trave. Rose, que acompanhou a jogada com velocidade desde o seu início, apareceu no miolo da área e fuzilou as redes para virar o placar.

O Tottenham, impressionantemente, conseguia jogar a pressão para o lado azul do campo e jogar com extrema fluidez e inteligência. Quando já não parecia possível ficar melhor, Kane recebeu de Dembélé na entrada da área e girou em Ivanovic. O zagueiro tentou desarmá-lo mas perdeu o tempo da bola, acertando o pé do atacante inglês e concedendo um pênalti para os Spurs, cobrado com precisão por Townsend no canto direito de Courtois, que até chegou perto mas não conseguiu defender. 3-1 Tottenham e fim do primeiro tempo – com José Mourinho esbravejando rumo ao vestiário antes mesmo do apito.

No segundo tempo, por mais positivo que o cenário pudesse parecer, o medo ainda dava suas caras. O Chelsea foi pra cima, colocou Ramires no lugar do improdutivo Oscar. E a pulga – ah, a pulga… – insistia em não sair dali de trás. Mas se tinha alguém afim de exterminar a pulga e o então líder Chelsea, esse era Harry Kane. E apenas sete minutos depois do apito que deu início à segunda etapa, o atacante girou nas costas do veterano Terry, que não conseguiu acompanhar e se contentou em vê-lo acertar um chute cruzado no canto direito da meta dos Blues. 4-1.

O Chelsea, que já avançava mais para o ataque desde o recomeço da partida, descontou com Hazard aos 60′. Em falha grotesca de Fazio na saída de bola, a comissão de frente do Chelsea encaixou um ataque rápido e letal. Fàbregas entrou na área pela esquerda e tocou curto para o belga concluir no meio. 4-2. Tínhamos um jogo e, bom, a pulga…

A pulga na verdade até tentou voltar. O arisco Salah até entrou no lugar de Willian, mas hoje não era dia. 2015 começou com sofrimento, sim, mas sem tristeza. Aos 78′, o inspirado Chadli se infiltrou na área pela esquerda e recebeu ótimo passe de Kane. O belga dominou e bateu cruzado, fazendo o quinto e fechando o caixão do menor gigante do futebol mundial.

Os Blues diminuíram com Terry, faltando três minutos para o fim do tempo regulamentar, após Hazard bater falta rápida e pegar a defesa do Tottenham desprevenida. 5-3 no placar e fim de jogo no White Hart Lane.

Partida épica, goleada histórica e vitória substancial tanto para o decorrer do campeonato quanto para o espírito do time, que não vencia o Chelsea há mais de quatro anos. Eriksen e Dembélé foram ótimos, Vertonghen e Chadli jogaram absurdamente bem e Lloris, de novo, salvou tudo o que pôde – inclusive impediu uma reação rápida do Chelsea ao defender chute dificílimo de Azpilicueta logo depois do Chelsea marcar o segundo – mas o que Harry Kane vêm jogando ainda não está nos livros.

MELHORES MOMENTOS:

INFORMAÇÕES:

 

TOTTENHAM (4-5-1): Lloris; Walker, Fazio, Vertonghen, Rose (Davies, 76′); Mason (Dembélé, 13′), Bentaleb, Townsend (Paulinho, 66′), Eriksen, Chadli; Kane.

Reservas não utilizados: Vorm, Chiriches, Stambouli e Soldado.

 

CHELSEA: (4-5-1): Courtois; Ivanovic, Cahill, Terry, Azpilicueta; Matic, Fàbregas, Oscar (Ramires, 45′), Willian (Salah, 72′), Hazard; Costa.

Reservas não utilizados: Cech, Zouma, Mikel, Remy, Drogba.

 

GOLS: Kane 30′ e 52′, Rose 44′, Townsend 45′ (pen) e Chadli 78′ (TOT); Costa 18′, Hazard 61′ e Terry 87′ (CHE).

CARTÕES AMARELOS: Bentaleb, Kane e Paulinho (TOT); Fàbregas (CHE).

PÚBLICO: 35.903

ÁRBITRO: Phil Dowd

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.
  • Márcio Assunção

    Grande jogo!!
    Desde que o incansável Bale saiu há uma temporada e meia não via os Spurs se exibirem com tanta garra e brilhantismo.
    Vamos esperar para que não fique só no lampejo e sirva de motivação para uma arrancada rumo à vaga para a UCL e, porque não, ao título da Europa League.

  • wagner

    Épico! Seriedade ( exceto naquela pixotada do Fazio, no lance do segundo gol do Chelsea) e disposição durante o jogo todo! E por incrível que pareça toda a rodada ajudou.

  • Alex

    Foi o dia do “hurricane” Harry Kane.

    Mais uma vez mostrou que as categorias de base devem ser levadas à sério.
    O moleque jogou demais. Chamou a responsabilidade pra si e ainda mostrou que tem muito potencial a ser explorado. O vejo como um sr atacante daqui há uns 2/3 anos.

    2015 já começou épico! Tomara que o ano seja feito de 364 dias de grandes emoções!

  • Rafaelhsouza

    Sem exagero, melhor jogo do Spurs em anos (podíamos ter passado sem o 3o gol, mas tudo bem). Harry Kane é um ídolo inusitado (já podemos chamar de “ídolo”, né?)…quem diria que ele chegaria onde está? Não é mais um atacante “tapa buraco”, ele se tornou o CARA em White Hart Lane. Três GOLAÇOS, daqueles de matador mesmo, corta e mete a bomba…deu gosto de ver.

    Com a iregularidade de times como o West Ham, Southamptom e Arsenal, da pra acreditar numa vaguinha pra champions hein? O ano começou bem.

  • Thiago

    Cara fazer 5 no Chelsea é algo que não estava na cabeça nem dos mais otimistas.
    Certeza que a maioria tava torcendo para um empate ou não levar uma goleada vexatoria que nem ano passado e sendo otimista uma vitória magra de 1×0 ou 2×1 com gol do Eriksen nos 90 do segundo tempo.
    Por mais que vai ter nego de chororo dizendo que não foi uma goleada histórica, foi sim, e é uma marca agora no time do Chelsea.

    Agora é continuar a torcer para os Spurs, um pouco mais feliz e com mais confiança no time depois dessa, por mais que fale mal do Fazio ele tá fazendo uma ótima parceria com o Vertonghen e a nossa zaga já não é aquela coisa bagunçada que era.

    Estamos a poucos pontos da 4º e 3º posição, dá para brigar se continuarmos a jogar desse jeito de hoje.

  • fernando c.

    Épico. Inesqecivel. A esperanca voltou com força a balançar o coracao dos spurs!
    “O menor dos gigantes e o maior dos modinhas”

    They cany stop the boys from tottenham the boys from WHL??