Tottenham sofre, mas vence por 2×1 – estamos sem manchetes

O título é cortesia do Matheus Felipe Vieira – que postou essa lá no grupo logo após o apito final  – e resume com precisão o que têm sido essa temporada. De novo, o Tottenham jogou mal, muito mal. Marcou mal, armou mal, passou mal, posicionou mal, mas contou com a sorte e saiu com a vitória. Dessa vez, a vítima foi o Leicester City – que, coitado, não vence há mais de dois meses.

No King Power Stadium, em Leicester, Pochettino decidiu poupar Ben Davies e Ryan Mason da rodada do Boxing Day. Danny Rose e Benjamin Stambouli foram para o jogo em seus lugares, respectivamente. Dembélé, Lennon e Dier, que vinham sendo utilizados, não foram sequer relacionados.

O árbitro apitou o início do jogo com a posse de bola para o Tottenham, que tocou a bola com calma no círculo central até Lamela receber a bola. O argentino deu um ótimo lançamento em profundidade para Chadli, que ainda com a defesa do time da casa mal postada, avançou pelo flanco esquerdo e tocou a bola para o meio da área – onde estava Harry Kane. O atacante aproveitou uma falha do zagueiro, dominou a bola e tirou com classe do goleiro Hamer. Com 59 segundos de jogo, 1-0 Spurs.

Depois disso, o Tottenham esqueceu como atacar. Se contentou em alçar bolas longas, já que as infiltrações e tabelas pelo meio não funcionavam. Bentaleb e Eriksen estiveram muito mal na armação, fazendo o meio de campo perder consistência. Stambouli até aparecia bem para quebrar as jogadas dos Foxes, mas técnicamente, com a bola no pé, foi péssimo. Pelos lados, Rose e Walker apoiavam bem mas não conseguiam acompanhar os wingers adversários, pra variar.

Do outro lado, o Leicester começava a vir pra cima. Vendo que o meio de campo dos Spurs estava totalmente perdido, as jogadas dos Foxes fluiam muito bem até a intermediária e se abriam para Schlupp e Mahrez, que faziam o que queriam com Walker e Rose, respectivamente. Mesmo com os esforços dos pontas e alguns gols perdidos por Ulloa, o time da casa não conseguiu marcar seu gol. E assim se desenhou o resto do fraco primeiro tempo da partida.

No segundo tempo, Mason entrou em campo no lugar de Stambouli, mas não adiantou. Assim como o gol do Tottenham, com certa rapidez, finalmente acabou chegando o gol do Leicester. Pela direita, Mahrez disputou bola com Bentaleb no corpo. Sonolento, o volante perdeu a dividida e viu o adversário avançar para dentro da área e rolar a bola para Ulloa. O argentino só teve o trabalho de tocar para dentro do gol no primeiro poste. 1-1.

O Leicester, então, apostou todas as duas fichas na virada. A estratégia foi a mesma: desenvolver as jogadas pelo meio e depois abrir para as pontas. O time da casa bateu, bateu e bateu. Chegou perto. Acertou a trave duas vezes. Teve azar em pelo menos quatro jogadas que podiam facilmente ter entrado no gol, mas não conseguiu marcar.

Aos 25 da segunda etapa, Kane tentou avançar sozinho pela direita mas foi parado com falta perto da área. Apagado na partida, Eriksen bateu direto para o gol. Com efeito, a bola veio fechada na primeira trave, sem chances para o goleiro Hamer. Mais uma vez sem jogar bem, o dinamarquês decidiu a partida em uma jogada. 2-1.

Até o final da partida, o Leicester seguiu com o ritmo agressivo e acelerado. Colocou o atacante Vardy no jogo no lugar do improdutivo Nugent, mas quase não surtiu efeito. Todas as chances – que não foram poucas – criadas pelos Foxes foram desperdiçadas, isoladas pela zaga do Tottenham ou salvas por Lloris.

Assim terminou a terceira vitória seguida dos Spurs na Premier League, que agora somam 30 pontos e estão na sexta posição da tabela, a apenas dois pontos do G4.

GOLS:

INFORMAÇÕES:

 

TOTTENHAM (4-5-1): Lloris; Walker, Fazio, Vertonghen, Rose; Stambouli (Mason, 45′), Bentaleb, Lamela, Eriksen, Chadli (Soldado, 63′); Kane (Paulinho, 84′).

Reservas não utilizados: Vorm, Townsend, Chiriches e Davies.

 

LEICESTER: (4-5-1): Hamer; Simpson, Wasilewski, Morgan, Konchesky (Knockaert, 83′); Drinkwater, King (James, 45′), Mahrez, Nugent (Vardy, 75′), Schlupp; Ulloa.

Reservas não utilizados: Smith, de Laet, Cambiasso e Hammond.

 

GOLS: Kane, 59s e Eriksen, 71′ (TOT); Ulloa, 47′ (LEI)

CARTÕES AMARELOS: Walker e Vertonghen (TOT); Vardy (LEI)

PÚBLICO: 31.870

ÁRBITRO: Neil Swarbrick

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.
  • Vinícius

    Devagarzinho, jogando mal ou bem, podemos até se classificar pra champions league, dependendo de:

    1 – Nosso retrospecto nos confrontos diretos contra o West Ham, Southampon, Arsenal e Liverpool no segundo turno (Chealsea, City e United já estão classificados, na minha opnião)

    2 – Se não perdermos tantos pontos importantes e fáceis dentro de casa.

    3 – Se o West Ham e Southampon não conseguirem manter o ritmo até o final. (Dificilmente conseguirão, basta lembrar que eles já estiveram em 2º antes)

    4 – Se as copas e a Europa league não nos atrapalhe tanto.

    5 – Se não tivermos problemas de lesão em jogadores importantes de nossa equipe

    Até umas 3, 4 rodadas atrás eu já tinha jogado a toalha, mas agora eu acredito!

  • Lenno Souza

    Os 3 pontos ( fora os 3 pontos pela vitória) positivo são 1-que estamos fazendo, e não levando) gols no início das partidas. 2-que mesmo jogando mal estamos ganhando jogos, não é a primeira vez, antes mesmo jogando um bom futebol (as vezes) o resultado não era o esperado e 3- Kane.
    #COYS