O fim está próximo

Já na ultima temporada, quando Ekotto foi emprestado ao QPR para jogar a segunda divisão e ficando com apenas Rose como opção para a lateral esquerda, já ficava claro a intenção do clube em não contar mais com o folclórico franco-camaronês em campo pelo clube. Há um ano atrás, quando Benny foi emprestado, essa decisão foi muito questionada, e com razão, já que com apenas um lateral esquerdo no elenco sofremos a temporada inteira nesse setor, ainda mais por essa única opção ter sido Rose, que teve uma temporada que podemos classificar como “muito ruim”. Ekotto nunca foi um grande jogador, mas na ultima temporada eu, pessoalmente, preferia ele a Danny Rose na lateral esquerda. Duvido que ele conseguisse superar negativamente as atuações de Rose.

Nesse novo incío de temporada, Benny está novamente fora dos planos dos Spurs. E com seu contrato perto do fim, sua historia de oito anos como jogador do Tottenham também deve chegar ao fim. Agora a decisão já nem é questionada, já que o clube contratou um jogador para posição e Rose fez uma boa pré-temporada, conseguindo até uma surpreendente convocação para o English Team. Ekotto nem sequer foi inscrito para os jogos na Premier League, onde o clube tem direito a inscrever 25 jogadores e, mesmo tendo inscrito apenas 23, Benny não ficou com uma das vagas.

Dentro de campo, com certeza sua ausência não será sentida pelos torcedores. Mas fora de campo, BAE sempre teve o amor da torcida por vários motivos distintos e nenhum deles ligado a suas habilidades futebolísticas. Amor esse que o faz digno dessa coluna em sua homenagem. Benny faz parte daquele grupo de jogadores folclóricos que tornam o futebol mais divertido. Em seu caso o seu total desinteresse pelo futebol o fez famoso no mundo do futebol. São muitas as historias ligadas a essa sua característica como na chegada da Rafael Van Der Vaart ao clube onde o Holandês teve que ser apresentado ao camaronês que não sabia quem era. Harry Redknapp certa vez falou sobre o camaronês:

“Ele quer apenas jogar, na maioria das vezes não sabe em que posição o clube está e nem em que campeonato esta se passando o jogo, quer apenas entrar em campo e fazer o que for mandado fazer”.

Benny nunca escondeu esse fato de não amar o futebol. Em suas próprias palavras:

“Futebol é apenas meu trabalho, um ótimo trabalho, mas não é minha paixão”.

“Jogo e treino futebol o dia todo, quando acaba não quero mais saber de futebol”

“Gosto de todos meus companheiros de trabalho, eu não tenho problema com ninguém. Mas eu não tenho ninguém na minha agenda no telefone, eu não acredito em amizades no futebol. “

Quando perguntado sobre o possibilidade de classificação para a Champions League em 10/11, ele respondeu:

“Seria bom para a equipe, o clube e os torcedores … eles vão adorar, mas para mim, seria apenas mais um conjunto de jogos. Quando jogamos contra Liverpool e Chelsea, é como a Liga dos Campeões de qualquer maneira, por isso para mim (dá de ombros) é só um trabalho.”

Esse tipo de jogador, com esse tipo de atitude, é necessário nesse futebol cada dia mais serio e comercial que temos hoje, mas, logicamente, é necessário um complemento dentro de campo para que ele tenha espaço em um clube de alto nível, o que não é o caso dessa relação entre Benny e Tottenham.

Se dentro de campo as 155 partidas de Ekotto não foram motivos para ser lembrado, fora de campo Benny sempre nos fez feliz, seja com suas atitudes, entrevistas ou fotos. E a esses momentos de alguma forma somos gratos, e desejamos que seja feliz e bem sucedido no seu “trabalho”.

Usando o termo que esta na moda hoje em dia entre os torcedores de futebol, “suas zoeiras nunca serão esquecidas LoL”

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

fernandobraz

Latest posts by fernandobraz (see all)

  • betao

    Vai tarde!!!!