Manifesto de torcedor – O Tottenham cresceu!

Hoje, Yiddos, preparei algo diferente, não ficarei apenas nas notícias.

O Tottenham é um clube grande, por mais que tentem pregar o contrário em alguns cantos da Inglaterra. Claro que não somos gigantes como um Manchester United, mas nossa história é rica e, depois de um começo de século XXI extremamente difícil, uma diretoria consciente tem nos colocado nos eixos. Por mais que muitos não apoiem a política do bom e barato de Daniel Levy, o homem foi essencial para que nos mantivéssemos no patamar que alcançamos hoje, de poder brigar por uma vaga na UEFA Champions League.

Daniel Levy poderia ter feito como alguns clubes como Leeds e Portsmouth: invista todo o dinheiro que tem e o que não tem em prol de resultados e, quiçá, títulos. Mas o dirigente foi extremamente consciente, mesmo cometendo um erro ou outro nas contratações, mas nem sempre se acerta em tudo.

A ascensão do clube começou quando Martin Jol assumiu em 2004, após o título da Premier League do nosso rival Arsenal. Desde então a cara do clube começou a mudar. Jol fazia o time jogar da maneira que melhor podia de acordo com seu elenco, e o fazia brigar sempre por uma vaga na antiga Copa da UEFA, ficando em 5º, 6º lugar. Uma temporada atípica de 2007/2008 custou o cargo ao treinador holandês logo em seu início, devido a desentendimento em contratações e um mal começo na Premier League. Juande Ramos assumiu, conseguiu um título da Carling Cup goleando o Arsenal por 5×1 na semifinal e batendo o Chelsea na decisão em Wembley, fatores que mascararam a má temporada na Premier League, onde o clube terminou na 13ª posição. Juande remontou a equipe e fez uma pré-temporada animadora. Mas quando a bola rolou pra valer, nada deu certo e o espanhol foi mandado embora após um início horrível, com 6 derrotas em 2 empates nas primeiras 8 rodadas da Premier League.

Para arrumar a casa, Levy providenciou a chegada de Harry Redknapp, que vinha de bom trabalho como manager do Portsmouth. Uma primeira temporada, 2008/2009, de recuperação da atípica temporada anterior e uma gloriosa temporada de 2009/2010, com a conquista da vaga na UEFA Champions League fizeram com que o começo do novo treinador não pudesse ser melhor. Redknapp ainda foi o responsável por tirar o melhor do trio Modric, Bale e Lennon.  Redknapp ainda teve o mérito de trazer jogadores de sua confiança à equipe, como Peter Crouch e Jermaine Defoe, que ajudaram na sua caminhada com o clube.

A temporada da UCL foi fantástica, quartas-de-final, eliminando o Milan no San Siro, protagonizando o episódio “Taxi for Maicon”, expandindo nossa marca para o mundo todo. Os que já conheciam, ficaram ainda mais curiosos com o clube. Os que já torciam desde o início desta evolução, ficaram orgulhosos.

O problema foi a temporada 2011/2012. O Tottenham até terminou em quarto, mas perdeu a vaga na UCL para o campeão do torneio, Chelsea, que havia ficado em 6º na Premier League. Redknapp foi demitido. Não por terminar em quarto, mas por não ser capaz de segurar a terceira colocação no campeonato, a qual ocupamos por quase todo o torneio e perdemos na reta final. É preciso ser dito, no entanto, que Redknapp não estava totalmente focado no clube no final da temporada, devido à vontade da Federação Inglesa de contratá-lo como treinador da seleção local e devido a alguns problemas extra-campo.

2012/2013: Temporada nova, técnico novo. André Villas-Boas, português de excelente trabalho no FC Porto, mas que havia sido demitido do Chelsea na temporada anterior. Villas-Boas era cheio de ideias, inteligente taticamente, mas muito se falava de ele não manter um bom ambiente no clube, talvez pelos jogadores não concordarem com certos aspectos de seu modo de jogo. O Tottenham ocupou a 4 posição durante muito tempo, no torneio, mas novamente não teve fôlego para segurar-se ali.

Bom, sobre a temporada passada nem é preciso falar muito. Foi decepcionante, da venda do Bale, passando pelas contratações, caras, que não deram certo, até um final melancólico em sexto lugar. Sexto lugar, que há poucas temporadas atrás, era nosso sonho de consumo. Mas hoje é pouco. E por que é pouco? Porque o Tottenham cresceu!

Desde a chegada de Martin Jol, o Tottenham tem se mantido na disputa por vagas em competições europeias, desde Harry Redknapp, o objetivo é sempre a UCL ou maior. O Tottenham revelou sua marca para o mundo. Luka Modric foi projetado aqui, depois de ter sido buscado no Dinamo Zagreb. Gareth Bale demorou engrenar, mas quando se descobriu que seu talento era do meio pra frente e não na lateral esquerda, se tornou um dos melhores jogadores do mundo em pouco tempo. O Tottenham contratou jogadores que poderiam, sim, buscar clubes de mais história na Europa e de maior poderio financeiro e talvez o exemplo mais recente disto seja Paulinho.

Paulinho é um volante de altíssimo nível, por mais que a temporada passada tenha-nos feito repensar isto. Mas ele fez temporadas excelentes no Corinthians, inclusive no jogo da final do Mundial de Clubes de 2012, contra o Chelsea. Paulinho é aquele volante invisível, de extrema inteligência sem a bola, capaz de aparecer na área quando ninguém espera e decidir o jogo. Paulinho não é um passador exímio, mas no jogo mais difícil do Brasil na Copa das Confederações em 2013, ele fez um lançamento espetacular para a assistência de Neymar no gol de Fred.

Pagamos 15 milhões de euros em Paulinho, um negócio que parecia ter sido até barato. Desbancamos um concorrente forte que era a Inter de Milão. E mesmo com a temporada ruim de 2013/14, apontou-se interesse de Real Madrid e Chelsea no jogador.

O ex-corinthiano teve uma temporada difícil na Premier League, mas oras… a primeira temporada de quem vem de ligas menores costuma ser de adaptação. E se lembrarmos, o começo dele foi ótimo, com extrema participação e gol que garantiu uma vitória contra o Cardiff. Lembremos, também, que Paulinho não fez pré-temporada com o clube, nem na temporada passada e nem nessa, tudo por culpa das competições internacionais entre temporadas.

Paulinho foi uma contratação extremamente comemorada e ainda tem que ser tratada assim. No jogo que fez nesta temporada, contra o AEL Limassol, ele foi muito bem, marcando um gol, inclusive. Ele é extremamente comprometido, com a tática do time. Pode não ser o melhor marcador que temos, mas sua função primordial não tem que ser esta, mas dar opção no ataque. Ele é melhor que Bentaleb, é melhor que Dembélé, não tenham dúvida. Por isso, merece nossa confiança.

Desde já, e sempre, meu saudoso COYS!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba, no Triângulo Mineiro, graduando em Licenciatura em Letras com Habilitação em Português e Inglês. Tenho 21 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.

Latest posts by Lucas Colenghi (see all)

  • Fernando Braz

    Paulinho ainda vai nos dar muitas alegrias.

    • Firmino

      O Paulinho não é nem nunca foi atacante, ele tem que jogar como o Tite fez ele jogar, médio volante vindo de trás. Não é craque polivalente para jogar em qualquer posição. Quanto aos investimentos dos “Spurs”, cadê os judeus cheios da grana para dar um gás? O Arsenal dos árabes investe um monte e os “Spurs” dos judeus fica contando $$ para investir.

  • Thiago Vanio

    Mt bom o texto parabens, eu confio no paulinho tem mt potencial ele vai mostra isso nesta temporada.

  • Rafael Vieira

    Concordo em partes com a matéria, sim é evidente que mudamos de patamar na Inglaterra. Mas ainda assim pecamos na falta de ambição, pois todos nós sabemos que se o Tottenham realmente abrir os cofres altos investimentos seriam possíveis. E é por essa falta de coragem que infelizmente ainda não alcançamos nosso lugar ao sol com os grandes europeus. Mas eu acredito fielmente que chegaremos lá, a estrada é tortuosa sim, mas esperança não nos falta. No mais, parabéns pelo trabalho de vcs do THBR e COYS!

    • Lucas Colenghi

      Bom, Rafael, eu entendo esse desejo que muitos tem do Tottenham abrir o cofre, pois o clube tem, sim dinheiro. Mas isso não vai ser possível nesta fase de gestão em que muito do que for arrecado será investido na construção do novo estádio, portanto, teremos que nos acostumar ainda mais com janelas mais modestas. A única forma de conseguir mais capital para investir em contratações seria conquistando uma vaga na UEFA Champions League, e agora temos a UEFA Europa League, também, como um caminho possível para isto.

  • Lennon Souza

    Concordo com boa parte do que foi dito. Crescemos é muito. Somos um grande time mas o mais complicado é se manter assim por vários anos. Ai sim seremos um Gigante. Com um novo estádio e jogando os Principais campeonatos. Só teimo em discordar sobre Paulinho. É sim um bom jogador, finaliza muito bem. Mas tá longe do patama que colocaram ele. Fez uma excelente participação no Corinthians… onde a formação e disposição tática eram perfeitas para ele. Laterais que mal apoiavam, atacantes que, antes de tudo, marcavam até quase o campo defensivo. Não participa do jogo, não tem, NÃO TEM MESMO, o poder de organizar um meio campo. Sobre o Bentaleb… vejo nele um potencial imenso, não é um gênio da bola. Mas acho que ainda vai ser um grande jogador. Boa visão, organização e controle no meio campo, bom passe (certo que ainda erra muito, até normal pela ideda) são algumas das qualidades que vejo nele. COYS.

    • Lucas Colenghi

      Interessante sua posição sobre o Paulinho. É bem verdade, sim, que o esquema do Corinthians o ajudava muito, mas penso que ele pode crescer taticamente na Inglaterra, é só uma questão de ajustar o posicionamento e entender as características do Paulinho. Ele não pode ser usado, simplesmente, como um volante de saída de bola, não tem essa característica. Talvez funcione bem como segundo atacante, tal qual contra o AEL. Quanto ao Bentaleb, também acredito que ele tem um imenso potencial, mas é muito jovem, e não pode ficar sendo posto na fogueira, jogando todos os clássicos, isso não necessariamente garante que o jogador vai evoluir.

      • Lennon Souza

        Muito feliz pelo jogo de Bentaleb. Não é de hoje que vem apresentando um bom futebol… mais feliz ainda por Mason também está em excelente forma! Nossa dupla de volantes são jovem e são nossos, são da BASE! Sem falar de Kane. Não é sempre que temos 3 jogadores, de tal importância para o clube, jovem e cria da casa.

    • Vinícius

      Concordo com você, mas quem tem mais potencial é o Paulinho, antes de chegar no Tottenham era considerado um dos melhores volantes do mundo (principalmente após a copa das confederações) e eu acredito que ele tem potencial pra voltar aquele futebol apresentado no Corinthians e na seleção, mas por enquanto quem vem jogando melhor é o Bentaleb, não dá pra queimar ele só por causa do jogo contra o Liverpool, assim como não dá pra endeusar Paulinho por causa do jogo contra o AEL Limassol.

  • Ale Echeverria

    Muito bom a sua análise. Ganhaste um seguidor, bravo!

    • Lucas Colenghi

      Valeu, cara!

  • Flavio R.

    Só falta um atacante pra jogar com o Adebayor…
    Um meio com Paulinho, Chadli, Eriksen e Lamela, não é nada mal…
    O time idal hoje seria esse:

    Iloris, Dyer, Fazio, Vertonghen e Rose, Paulinho, Chadli, Eriksen e Lamela, contratado (ou Soldado) e Adebayor.

    • Vinícius

      Acho que seria melhor um meio campo com um volante de marcação. E acho difícil o Tottenham contratar um atacante barato e melhor que Kane ou Soldado. Meu time ideal seria:

      Lloris, Dyer, Fazio/Kaboul, Vertonghen e Rose, Stambouli/Capoue, Bentaleb/Paulinho, Lamela e Eriksen/Kane e Adebayor.

      Ainda é cedo pra dizer se Paulinho merece ser titular, ele só fez 2 jogos na temporada e um deles ele jogou mal, assim como também não sabemos se os contratados renderão o esperado.
      E se Eriksen continuar jogando mal (acho que ele não se encaixou muito bem na formação de Poch) eu daria mais chances ao Kane, que vem jogando bem tanto no Tottenham, quanto no english team sub 21.

      • Flavio R.

        A especulação da vez no Tottenham, é o Jonas (ex Valência e Grêmio)…
        Sinceramente, é um Soldado piorado…
        O clube deixou escapar o Origi, que foi por empréstimo ao Liverpool, deixou escapar o Welbeck que foi para o Arsenal…
        Poderia ter trazido um dos 2 costarriquenhos Bryan Ruiz ou Campbell, poderia ter trazdido o Odwenige (nigeriano do Stoke)…
        Temos boas opções no ataque, mas temos poucas, apenas 3, sendo que falta um matador nato, já que o Adebayor gosta de jogar de pivô, gosta de se movimentar e de servir, o Soldado precisa de sequência, e o Kane é uma promessa, mas ainda não aconteceu…