Tottenham 0-3 Liverpool: um choque necessário

Domingo, 31 de agosto, de 2014. 11 horas e 52 no horário de Brasília. A cabeça ainda está quente, mas lúcida.

O Tottenham vinha de uma boa sequência na temporada europeia: quatro vitórias, duas na Premier League, duas pelos play-offs da UEFA Europa League. O time havia mostrado um padrão tático claro e a nova filosofia de jogo, do técnico Mauricio Pochettino, estava sendo bem absorvida pelos jogadores.

Pochettino irritado com o desempenho da equipe Rodgers vibrando com o seu, tônica da partida – @futmais

Mas em um dia fatídico, que contou com a pior combinação de fatores possível, o Tottenham sucumbiu em seus domínios para o forte time do Liverpool. Não que os Spurs não tenham mostrado resistência, pelo contrário, o primeiro tempo foi muito igual, talvez com uma ligeira vantagem dos Reds, que saíram na frente aos 8 minutos de jogo, com Raheem Sterling, em rara falha, até então, na saída de bola da equipe londrina.

O Tottenham não se abalou com o gol, mesmo com a pressão do Liverpool em busca de aumentar a vantagem e tentar definir o confronto logo cedo. O time acalmou os nervos, coisa rara de se ver em tempos recentes do Tottenham, Emmanuel Adebayor teve uma ótima chance, frente a frente com Simon Mignolet, mas o toque por cima foi com força exagerada. Adebayor também não soube aproveita uma oportunidade ótima, mano a mano com Dejan Lovren. Porém, a chance clara para igualar tudo e dar ainda mais ânimo para o segundo tempo, foi desperdiçada pelo belga, Nacer Chadli. Sim, o mesmo que havia se destacado com 2 gols contra o QPR. O meia-atacante recebeu a bola, livre, ele o goleiro… e Mignolet pareceu gigante, Chadli encheu o pé, mas parou em seu compatriota.

Raheem Sterling, no exato momento do chute que abriu o placar do jogo – The Metro

A derrota parcial parecia até injusta, com todas as dificuldades que o Liverpool impõe ao seu adversário, com toda sua objetividade, o Tottenham tinha lidado bem. O segundo tempo tinha tudo para ser ainda melhor para os Spurs, mas há sempre aquele fator aleatório, o fator com o qual ninguém conta, apesar de saber que, na maioria dos jogos, ele aparece: o árbitro. Phil Dowd, árbitro da partida, até que fazia uma aparição discreta, como tem que ser, mas sempre tem aquele apitador estrelinha, que gosta de um holofote. Dito e feito. Aos 7 do segundo tempo, com a partida equilibrada, em um ataque aparentemente despretensioso de Joe Allen, o árbitro assinalou pênalti de Eric Dier. Um erro crasso. Dier apenas fez o movimento da marcação, tocando, sim, em Allen, mas com aquele tipo de esbarrão que qualquer um leva no dia a dia, quando está caminhando pelas ruas de sua cidade.

Bola na marca da cal e o capitão do Liverpool, Steven Gerrard, não perdoou, 2 a 0 e chances cada vez mais ínfimas de o Tottenham, ao menos, pontuar na rodada. Apesar do baque extremo, o time tentou se recompor, e até parecia estar conseguindo. E para tentar efetivar a reação dos Spurs, Pochettino mexeu no time: sacou Nabil Bentaleb e Christian Eriksen, colocou Moussa Dembélé e Andros Townsend. Substituições que, à princípio, pareceram ajustadas. Ledo engano. Em sua primeira empreitada no jogo, Townsend se enrolou com a bola, Alberto Moreno se aproveitou do próprio desarme, para correr livre pela avenida deixada quando não se espera que seu meio-campista perca uma bola tão boba e finalizar forte, cruzado, sem chances para Hugo Lloris. 3 a 0, fim de papo.

Só não saiu o quarto, por causa do extremo preciosismo de Raheem Sterling ao finalizar após ter driblado toda a defesa do Tottenham.

A verdade é que este choque, aparentemente exagerado pelo placar aplicado pelos Reds, foi necessário. O bom primeiro tempo não serviu para apagar a partida confusa do setor ofensivo do Tottenham. Danny Rose não atuou bem como nas outras duas partidas, Younes Kaboul foi o zagueiro lento e comprometedor de sempre, mas desta vez, o que realmente colaborou para a derrota da equipe, foi a emperrada na engrenagem que estava fazendo tudo rodar: a dupla de volantes. É certo de que Etienne Capoue e Nabil Bentaleb não seja a dupla dos sonhos dos torcedores, mas eles haviam feito duas boas partidas já no campeonato, mas o que se viu hoje foi preguiça na marcação e extrema dificuldade na saída de bola.

Mauricio Pochettino não imaginava que teria tantas dúvidas a serem sanadas tão perto do final da janela de transferências, talvez as declarações que ele deu indicando de que o Tottenham não buscaria muitas mudanças sejam alteradas. Lembrando que amanhã, dia 1º de agosto, a janela fecha ao meio-dia (horário de Brasília). Talvez ele desista de vender jogadores como Sandro e Lewis Holtby, como tanto foi anunciado, talvez ele negocie jogadores que percebeu não terem futuro na equipe, talvez ele contrate mais alguns nomes além do esperado, ou talvez tudo fique como está.

A questão é que hoje, caros amigos, o Tottenham levou um daqueles empurrões que o Universo dá em todo mundo, pra testar mesmo as ambições de cada um. Sabemos que a temporada não será fácil, mas também não queremos mais um ano de decepções.

Melhores momentos do jogo em: http://espn.uol.com.br/video/436585_ingles-melhores-momentos-de-tottenham-0-x-3-liverpool

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Lucas Colenghi

Mineiro de Uberaba (no Triângulo Mineiro). Licenciado em Letras com Habilitação em Português e Inglês pela UFTM. Tenho 22 anos e as duas coisas que eu mais odeio no mundo são: 1- acordar cedo; 2- escanteio curto. Gostar de futebol é legal até você resolver torcer para um time: com o Tottenham não é diferente.

Latest posts by Lucas Colenghi (see all)

  • Antonio Carlos

    Vou repetir aqui que comentei agora a pouco, lá no Trivela:
    Também acho que falta identidade e até mesmo um pouco de padrão aos Spurs… apesar do bom começo de trabalho de Pochetinno, um resultado desses abala um pouco a confiança, ainda mais quando se olha para o banco e não se vê alternativas… pra mim, alguns jogadores (Dembele e Paulinho, por exemplo) não podem ficar fora desse time… e esse privilégio à posse de bola tem que resultar em algo de concreto, senão nada adianta… para finalizar, acho que falta o principal ao tottenham: um matador… os caras chegam na cara do gol e não finalizam, ou finalizam mal… contra times medianos, tudo bem, surgem várias oportunidades, mas contra times de ponta, essa fragilidade acaba com o jogo, pois as poucas oportunidades nessas partidas tem que ser melhor aproveitadas…

    • Vinícius

      Bentaleb é melhor que Paulinho e Dembelé… Você acompanha o Tottenham com frequência?

      • Antônio Carlos

        Com todo o respeito, é questão de opinião… Bentaleb joga bem, mas acho que tanto Paulinho quanto Dembele são melhores… marcam mais, desarmam mais e armam mais…

        • Vinícius

          Foi mal cara eu respeito sua opnião (apesar de não concordar), é que eu tava meio nervoso na hora.

          • Antônio Carlos

            Ow Vinicius, tranquilo! !!… tá tudo em casa, tamo junto!!!

  • Antonio Carlos

    Em tempo bem lembrado no texto… Capoue e Bentaleb são brincadeira…. os caras não marcam, não desarmam, só assistem….. o comentarista da ESPN mesmo ressaltou que o Dembele, depois da sua entrada, jogando apenas 30 minutos, foi o cara que mais efetuou desarmes no Tottenham… por aí a gente vê, mas pelo visto os dois que começaram são os “preferidos” do Pochettino…

  • Daniel

    O Capoue é brincadeira … o Nabil Bentaleb , estava jogando bem nas partidas anteriores, mas ao invés dele botar o Paulinho ou Dembelé ,junto com o Bentaleb , iriamos melhorar muito.E ainda mais,o Townsend deixou uma AVENIDA pro gol do Moreno…lamentável

  • Gaznad

    Todo ano é a mesma merda. O Tottenham parece que é incapaz de vencer os “grandes” da Inglaterra. É sempre trolha contra Man Utd, Man City, Liverpool, Arsenal e Chelsea.

  • p.victor

    o nosso setor de criação simplesmente não funcionou hoje. espero que nas próximas partidas contra os grandes o setor funcione. o pochettino tem que fazer a tal marcação pressão funcionar direito contra os grandes, o liverpool fez isso bem hoje.

  • Vinícius

    Impossível pensar em champions league se não vencer pelo menos 3 jogos contra os grandes, vamos aguardar…

  • Caio Pereira

    Essa foi a primeira partida contra um grande, perdemos, foi triste, sem duvidas, mas bola pra frente, não da pra jogar todo um trabalho que vem sendo feito, e muito bem por sinal, por causa de um jogo, ainda estamos bem na tabela, Arsenal, Man United, City tropeçaram, ainda tem muita águra pra rolar, não é hora de ficar desesperado, podemos conseguir essa vaga na ucl sim!!

    #ComeOnYouSpurs!!!

    • Antônio Carlos

      Com certeza, o trabalho é bom… a expectativa justamente por isso era maior… mas ainda acredito em uma temporada melhor!!!… COYS!!!…

  • wagner

    O resultado não reflete oque foi o jogo ( que foi bem parelho). Sim, o Liverpool mostrou muita objetividade e tudo, porém tivemos um pênalti muito mandrake e a prova final que o townsend não quer estar ali. O “se” não entra em campo, mas não fosse o pênalti, não haveria também o terceiro gol e o resultado poderia tanto ser a vitória do Liverpool quanto o empate ou vitória dos spurs.

    Ps.: Alguém sabe como conseguir uma camisa dos Spurs? de preferência da temporada passada.
    e-mail para contato: wagnersrv1989@gmail.com