Tottenham 1×1 Chelsea

Na abertura da 6ª rodada da Premier League, o estádio White Hart Lane recebeu o clássico londrino entre Tottenham e Chelsea. Num jogo com dois tempos distintos, o empate em 1×1 não resolve nem atrapalha significativamente ninguém. Sigurdsson marcou o gol do time da casa, enquanto Terry empatou o placar para os Blues.

O duelo de treinadores portugueses foi um capítulo a parte. Andre Vilas Boas e José Mourinho são velhos conhecidos, mas como o atual treinador Yid fez questão de ressaltar, não são mais amigos. De fato, os treinadores se cumprimentaram e até conversaram cordialmente antes e após o jogo. AVB alinhou seu Tottenham com Lloris; Walker, Dawson, Vertonghen, Naughton; Dembele, Paulinho, Eriksen, Townsend, Sigurdsson; Soldado. Já o ‘Special One’ escalou o Chelsea com Cech; Ivanovic, Terry, David Luiz, Ashley Cole; Mikel, Lampard, Ramires, Oscar, Hazard; Torres.

Desde o início o jogo mostrou dois times esbanjando disposição. Mas sem chances claras de gol. A primeira boa oportunidade dos Spurs foi convertida em gol, aos 19 minutos. Eriksen conseguiu boa jogada pelo meio e entre dois adversários serviu Soldado. O camisa 9 fez o pivô escorando para a entrada de Sigurdsson. O ‘Thor’ recebeu, driblou Terry e finalizou de canhota na saída de Petr Cech, para abrir o marcador. Foi o terceiro gol do islandês na Premier League, artilheiro do time na competição.

Foto: Reprodução/telegraph
Foto: Reprodução/telegraph

O Tottenham continuou dominando as ações até o fim do primeiro tempo, desperdiçando duas boas oportunidades para ampliar o placar. A melhor delas veio com Paulinho, que saiu de frente para o goleiro adversário e finalizou na trave. Na volta para o segundo tempo, Mourinho tirou Mikel para a entrada de Juan Mata. E o resultado foi imediato, com o time de azul crescendo consideravelmente na partida. Fernando Torres fez grande jogada e parou em saída arrojada de Lloris. Mas aos 60 minutos, o arqueiro francês nada pôde fazer. Cobrança de falta por Mata e Terry (em posição duvidosa) cabeceou no canto para empatar.

A partir de então, o jogo se abriu. Mais alternativas de lado a lado e muitos cartões. Foram cinco amarelos para os Spurs (Dawson, Vertonghen, Townsend, Eriksen e Dembelé), contra dois amarelos do Chelsea (Ivanovic e Torres). Porém o camisa 9 do Chelsea exagerou nas provocações e no duelo pessoal com Vertonghen, acabou sendo expulso por saltar sobre o adversário em uma disputa de bola com o jogo já parado. Exclusão infantil. Com um homem a menos, os Blues se fecharam ainda mais. E o Tottenham ensaiou uma pressão, chegando perto do gol da vitória com Defoe (que parou em Cech) e Sigurdsson (que bateu de fora da área, raspando a trave). Em um contragolpe, Schurrle teve a bola do jogo para os visitantes, mas esbarrou em um milagre de Lloris.

No fim das contas, empate no maior estilo chuchu. Sem gosto, sem graça. O Tottenham está na primeira colocação da tabela temporariamente, com 13 pontos, mas pode ser ultrapassado por Arsenal, Manchester City e Liverpool. O Chelsea tem dois pontos a menos e ocupa a terceira posição provisória. Na próxima rodada os Spurs tem novo clássico em casa, frente ao West Ham. Já o Chelsea visita o Carrow Road, onde enfrenta o Norwich.

NOTAS:

LLORIS: Sem culpa no gol sofrido, saiu da meta algumas vezes para cortar cruzamentos de forma espalhafatosa. Salvou a equipe em duas oportunidades com verdadeiros milagres. NOTA: 7

WALKER: Tentou apoiar mas não conseguiu ser efetivo. Perdeu uma bola boba no primeiro tempo que poderia ter custado um gol. Ganhou a maioria das disputas defensivas com a força física de costume. NOTA: 6

DAWSON: Firme como sempre nas disputas, fez menos lançamentos loucos que o costume. Recebeu amarelo no segundo tempo mas não é o único culpado pelo cabeceio livre de Terry, no gol adversário. NOTA: 6

VERTONGHEN: Fez boa atuação, mas ficou muito envolvido na rusguinha com Fernando Torres. De certo modo cavou a expulsão do rival, mas cometeu a falta que originou o gol do Chelsea. NOTA: 6

NAUGHTON: O elo mais fraco tecnicamente. Tentou apoiar e até conseguiu acertar um chute na direção do gol. Mas saiu fraco, como o seu nível impõe. Faz o simples na marcação e não compromete. NOTA: 5,5

DEMBELÉ: Fez uma boa partida, mas exagera no ‘enceradeirismo’. Tem força e disposição, poderia ser mais efetivo. Se irritou com a controversa atuação do árbitro Mike Dean e tomou amarelo. NOTA: 6

PAULINHO: Começou participativo, perdeu uma chance clara na frente de Cech. Fez um segundo tempo muito abaixo do esperado, praticamente não foi notado em campo. NOTA: 5,5

TOWNSEND: É um jogador de drible fácil e velocidade. Precisa usar melhor sua qualidade em vez de simular faltas como tanto gosta de fazer. Conseguiu bons passes ofensivamente mas foi sacado, provavelmente pelo cartão amarelo. NOTA: 6

CHADLI: Inútil. Entrou com meia hora para fazer alguma coisa e o placar favorável. O time sofreu o empate dois minutos depois e Chadli vagou em campo, esperando um milagre que nunca veio. Isolou uma bola em sua tentativa de “hoje eu se consagro”. NOTA: 4

ERIKSEN: Bem no primeiro tempo, onde iniciou a jogada do gol. Tomou amarelo e pareceu tímido demais a partir daí. Não conseguiu ditar o ritmo do time como nas últimas rodadas. NOTA: 5,5

HOLTBY: Entrou com pouco tempo e mostrou disposição. Poderia ter sido mais incisivo em alguns lances, mas foi importante na transição de bola que pressionou o rival no fim do jogo. NOTA: 5

SIGURDSSON: O islandês não teve uma grande exibição, mas foi decisivo aproveitando a única chance clara que teve. Passou largos períodos desaparecido do jogo e no fim quase fez o gol da vitória em lindo chute de fora. Jogador mais perigoso do time. NOTA: 6,5

SOLDADO: Participou do lance do gol, mas não soube sair da boa dupla de zaga adversária. Se engalfinhou em demasia, não esteve atento a linha de impedimento… Atuação fraca. NOTA: 5,5

DEFOE: Movimentação tentando abrir espaços. Uma finalização defendida pelo goleiro e outra que desviou e saiu com perigo. Tentou fazer algo nos poucos minutos que teve, sem sucesso. NOTA: 5

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Emerson Araujo

Jornalista, aficionado por futebol, torcedor do Cruzeiro (de nascença) e do Tottenham (desde 2005). Orgulhosamente, um dos fundadores da Tottenham Brasil e colaborador do Guerreiro dos Gramados, site voltado a cruzeirenses. Odeia Guardiolismos e acredita que atacante tem que fazer gol. Acredita que todo dia é um 7 a 1 diferente e não há nada de mau nisso. Exímio treinador no Football Manager.

Latest posts by Emerson Araujo (see all)

  • O Tottenham tem que aprender a jogar contra os grandes, senão não arranca bem e não vai pra Champions de novo, tem que melhorar a marcação pelo alto e mesmo que o Arsenal perca e o Tottenham fique na liderança, esse resultado é um tropeço mesmo contra o Chelsea, o Soldado não está mais marcado gols e no segundo tempo o Tottenham só assistiu o Chelsea jogar e depois deu no que deu, teve que correr atrás.Abre o olho Tottenham.

  • Kelvin Silvsstre

    Holtby e Defoe merecem chance para iniciar as partidas pela premier league,Chadli das contratações é de longe o mais fraco,uma outra alternativa seria sandro ou capoue no lugar de dembele pois eles tem mais pegada e marcação.
    O time ta bem ta com pegada marcando bem tomamos apenas 2 gols,tem que melhorar no segundo tempo sempre o ritmo cai.
    Lloris mito salvando tudo

  • Danilo

    Quero parabenizar mais uma vez os criadores desse site em nome de todos os torcedores do tottenham no Brasil , obrigado!!!!, aqui em Aracaju nós temos uma torcida grande do tottenham

  • Alan

    Quando vi que o Chadli ia entrar pensei: “Vai dar m…”, não deu outra. Mesmo com o Towsend (e o time em geral) sumido no segundo tempo, o Chadli não tem condição de mudar jogo algum. No final o empate foi justo e o time continua bem na classificação, agora é botar um mistão na quinta (nesse o Chadli pode jogar) e bater nos Hammers no domingo. #COYS

  • Adriel

    Que bom que voltou as notas dos jogadores, sabia que faltava alguma “coisa”!