O melhor ataque é a defesa

Dawson e Vertonghen, a dupla de zaga que vem dando conta do recado. (Foto: Reprodução/The Sun)

E vice-versa. Melhor ainda quando esses dois setores andam em harmonia. É o que vem acontecendo com o Tottenham nesse início de temporada.

O destaque maior vai para a defesa, tantas vezes criticada nas últimas temporadas. Até aqui foram sete partidas oficiais disputadas e apenas um gol sofrido. Este, no North London Derby, fora de casa, no jogo mais difícil até o momento. E no único, poderíamos dizer.

Mas o fato de não ter enfrentado grandes equipes não tira o mérito dos jogadores da retaguarda. Muitas vezes, em início de temporada, a falta de ritmo de jogo acaba atrapalhando no desempenho do setor defensivo. Porém, ritmo é o que não vem faltando aos atletas, que em algumas situações parecem estar no meio da época.

Para termos uma ideia, nos sete primeiros jogos da temporada passada a equipe sofreu oito gols. E se compararmos os adversários, a diferença é mínima. Já em 2011/12, foram nove tentos contra a nossa meta nesse mesmo número de jogos, mas com o fato de ter enfrentado Manchester United e Manchester City nos dois primeiros jogos da Premier League.

O sucesso defensivo do momento deve-se, em grande parte, às atuações de Hugo Lloris. O francês vem correspondendo as expectativas quando é solicitado, mesmo vindo de algumas falhas na sua seleção. É um excelente goleiro e ainda tem muito a dar pelo clube.

A dupla Vertonghen e Dawson também merece os elogios. E não merece poucos. Os dois já compõem a zaga desde a última temporada, mas parecem estar jogando juntos há anos. O capitão Michael Dawson, muitas vezes contestado, quase sempre por aqueles que preferem Younes Kaboul, vem fazendo seu trabalho, se não de forma brilhante, mas digno de um zagueiro titular de um grande clube como o Tottenham. E tem ao lado nada menos que o melhor zagueiro da última Premier League. Jan Vertonghen é um zagueiro sensacional. Tem um poder de marcação e cobertura incrível, e ainda tem qualidade com a bola nos pés. Vem mantendo as boas atuações da última temporada e em tudo para manter o status conseguido.

Nas laterais, Kyle Walker e Danny Rose estão correspondendo. Rose, que voltou de empréstimo do Sunderland e agarrou a faixa esquerda da defesa, ainda tem muito a aprender na marcação, mas até agora não comprometeu. Já Walker, parece ter saído de vez da “nhaca” que estava até o início desse ano. Adquiriu mais experiência e até agora não entregou o ouro. Esperamos que se mantenha assim.

Obviamente, o meio-campo também tem seus méritos. Tantos méritos que seria digno de outro post.

Se a defesa continuar nesse ritmo, teremos um problema a menos para a sequência do campeonato. E vamos vendo os problemas se resolvendo aos poucos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.
Made in Bahia, mais especificamente na Região do Sisal. Nordestino com orgulho. Licenciado em Letras com Habilitação em Língua Inglesa e Literaturas. Professor de escola pública que, além de ensinar inglês, doutrina seus alunos, dizendo que não existe nada melhor que futebol - a não ser quando o Tottenham perde. Na equipe Tottenham Brasil desde 2011, escrevendo e soltando o sotaque na apresentação da Rádio TB.

Latest posts by Amarilson Gordiano (see all)

  • Adriel

    A posse de bola no meio-campo está ajudando muito a zaga. Vertonghen disse algo parecido nessa temporada. Só falta Chiriches que ainda não tem a permissão de trabalho. Isso atrapalha nesse começo de Liga Europa.