Entrevista de Paulinho ao jornal Extra

Retirado de: http://extra.globo.com

Paulinho é um volante que sabe, como poucos, a direção que vai. Aos 24 anos, o camisa 18 da seleção brasileira campeã da Copa das Confederações anda para a frente com a bola nos pés e toma o rumo da Europa para, agora, encontrar a sonhada independência financeira. Autor de dois gols importantes na Copa e passes precisos, José Paulo Bezerra Maciel Júnior passou por Pão de Açúcar (agora Audax), FC Vilnius (Lituânia), Lodz (Polônia), Bragantino, Corinthians e agora vestirá a camisa do Tottenham, da Inglaterra. Numa negociação de R$ 55 milhões. Cabeça de área como Paulinho vale ouro num mercado em que andar de lado já rende elogios.

Quem era e o que é o Paulinho hoje? Esperava ser titular da seleção brasileira e alcançar todo esse prestígio?

Sou um cara que ama o que faz desde meus cinco anos. Apesar de muitas dificuldades ao longo deste tempo, sempre lutei para chegar num lugar bom, jogar em times grandes, mas esperar tudo o que está acontecendo e já aconteceu na minha carreira, não esperava. Apenas queria vencer na minha profissão.

Você sempre foi volante? Já jogou de atacante? Por que da característica de encostar com frequência no ataque?

Já fui lateral-direito. Talvez pela característica de apoio, isso ajudou na minha função de hoje. Talvez pelo fato de, na maioria das vezes, atuar com três volantes nos times que joguei, aproveitei essa minha característica.

De onde vem tanta impulsão?

Tive um treinador chamado Parragas que sempre me passou que tinha a forma de cabecear corretamente. A partir disso, caí dentro do treinamento para aprimorar o tempo de bola e a impulsão, porque eu não subia nada (risos).

Faz algo especial para ter tanto fôlego?

Não, apenas treinamento e dom de Deus.

Acha que garantiu vaga na Copa do Mundo?

Penso que posso ser útil e creio que consegui mostrar isso, que era um grande objetivo meu, pensando na Copa do Mundo. Posso estar mais próximo, mas preciso manter bem meu trabalho, porque a seleção tem grandes jogadores para todas as posições.

É um sonho?

Não tenha dúvida. E que sonho. Jogar na seleção brasileira, ainda mais numa Copa do Mundo em seu país. Pouquíssimos jogadores no mundo terão essa oportunidade.

De alguma forma, te incomoda não disputar a Liga dos Campeões no primeiro ano no futebol europeu? Acha que te atrapalha para manter a vaga na seleção brasileira para a Copa?

Sem dúvida, o campeonato mais visto no mundo é a Champions League, mas acredito que estou indo para um clube estruturado, que tem condição de me oferecer boas condições de trabalho. E a Premier League é um dos campeonatos mais vistos no mundo. Com isso, a visibilidade é grande. Agora, é tentar a adaptação à forma de jogar, morar em um lugar com costumes e clima diferentes daqui. E trabalhar forte sempre.

Já viu os jogos do Gareth Bale? Está na expectativa de que ele permaneça no clube? Os dirigentes do Tottenham fizeram alguma promessa nesse sentido?

Já vi sim. Trata-se de um belo jogador. Prova disso é que tem vários clubes com interesse nele, mas pelo que comentam, ele permanecerá no clube para nos ajudar.

Por que escolheu o Tottenham em vez da Internazionale de Milão? O que pesou mais?

Como falei, o Tottenham me oferece todas as condições para meu trabalho. A Inter sempre teve interesse no meu trabalho e agradeço por isso. Conversamos por algumas vezes, mas o acordo não aconteceu. São coisas do futebol. O Tottenham ofereceu boas condições para mim e para minha família. Estou muito feliz por isso.

Já entrou em contato com os brasileiros da equipe, o Sandro e o Gomes? Você e o Sandro jogam na mesma posição.

Falamos pouco, mas não atuamos na mesma posição. Quem sabe, poderemos ser uma dupla, como fui com o Ralf no Corinthians?

O Tottenham já teve casos de racismo contra jogadores do próprio time e adversários. Isso te preocupa?

Sempre é um assunto difícil, porque vemos que infelizmente isso ainda ocorre, e em mais de um país da Europa. Os atletas estão conscientizados sobre isso e precisamos entender que todos somos iguais, independente da cor de cada um.

Depois da Copa das Confederações, você ficou muito valorizado. Enxerga no Tottenham um trampolim para, depois, chegar a um Manchester United ou Chelsea?

Sinceramente, estou indo para desenvolver meu trabalho, sem pensar nisso. Acho que isso pode acontecer naturalmente, mas não é algo que eu pense que vá ou precise acontecer. Estou feliz e realizado.

O Tottenham não vence o Inglês há mais de 50 anos. Quais as suas perspectivas de ganhar títulos na Europa? Não seria melhor ficar no Corinthians, que sempre briga por conquistas?

Além de brigar por títulos, jogar no Corinthians é algo mágico. Só posso agradecer por tudo. Por isso, disse que um dia voltarei, porque é especial demais. Mas todos na vida precisam viver novas experiências e lutar por seus objetivos. Ir para o Tottenham, jogar a Premier League, morar numa cidade como Londres, só farão parte do meu crescimento como profissional e pessoa.

O técnico André Villas-Boas fala português. Já conversou com ele, mesmo que brevemente? Facilita receber instruções sem a necessidade de um tradutor?

Ajuda bastante, né? (risos). Falamos brevemente por mensagem antes dos jogos da seleção, quando me desejava boa sorte.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this pagePin on Pinterest
The following two tabs change content below.

Thiago Nunes

Sou o fundador e administrador da Tottenham Brasil, meu intuito e interesse desde a criação até hoje é a mesma, unir os torcedores do Clube em todo o país e trazer todas as informação de nosso clube para os torcedores aqui do Brasil. Desde o início do projeto conseguimos atingir um grande reconhecimento de toda a mídia, o que ajudou a fazer que outras pessoas passassem a olhar nosso clube e o conhecesse melhor. Hoje temos uma grande torcida espalhada pela Brasil, mas unida aqui pelo nosso TB.
  • Rafael

    Afe esse entrevistador humilhou o Tottenham! :S

  • Rafael

    Essa entrevista foi à Globo? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tinha que ser!!
    qual a diferença de Tottenham para Abramovich? ops Chelsea nesta última temporada? 3 Pontos! !
    Pra quê Paulinho iria àquele lixo? Vamos terminar acima deles nesta temporada!! alias eu acho que vamos surpreender muitos que não entende por*** nenhuma do que é Tottenham hotspur. #COYS

  • José Luis Nogueira

    O Tottenham não chegou a Champions porque uns pontos bobos em partidas consideradas fáceis. Acredito que a segunda temporada de André Villas-Boas nos Spurs, já conhcendo melhor o clube e o elenco será muito melhor e a vaga virá naturalmente. Brigar pelo título já será algo mais difícil, pois ainda vejo os times de Manchester mais fortes nesse sentido.

  • Adriel

    Ainda precisamos de um centro-avante. No meio-campo com Paulinho fica completo.